Busque abaixo o que você precisa!

Capitão Wagner e Vitor Valim lideram pesquisa da disputa pela Prefeitura de Fortaleza

CAPITAO                                    
Pesquisa estimulada do Instituto Paraná, divulgada nesta quinta-feira (3), mostra os deputados Capitão Vagner (PR) e Vitor Valim (PMDB) na liderança dos números em uma eventual disputa a Prefeitura de Fortaleza nas eleições do próximo ano. Em terceiro aparece o atual prefeito Roberto Cláudio (PDT). O levantamento foi realizado entre os dias 21 a 24 de novembro e ouviu 703 eleitores.

Confira os números

Se as eleições para prefeito da cidade de Fortaleza fossem hoje e os candidatos fossem esses, em quem o sr. votaria?

Capitão Wagner - 17,0% Vitor Valim - 13,5% Roberto Cláudio - 13,0% Heitor Ferrer - 12,6% Moroni Torgan - 11,6% Luizianne Lins - 10,9% Renato Roseno - 4,2% Carlos Matos - 0,6% Não sabe - 7,0% Nenhum - 7,5%

A pesquisa também ouviu os eleitores sobre um eventual segundo turno na disputa a Prefeitura de Fortaleza, em dois cenários. Confira os números:

01 - Em um eventual segundo turno entre Roberto Cláudio e Capitão Wagner, em quem o sr. votaria para prefeito da cidade de Fortaleza?

Capitão Wagner - 51,1% Roberto Cláudio - 26% Não sabe - 11,1% Nenhum - 11,9%

02 - Em eventual segundo turno entre Roberto Cláudio e Vitor Valim, em quem o sr. votaria para prefeito de Fortaleza

Vitor Valim - 49,8% Roberto Cláudio - 27,2% Não sabe - 11,0% Nenhum - 12,0%

O universo desta pesquisa abrange os eleitores do município de Fortaleza maiores de 16 anos. Para a realização desta pesquisa foi utilizada uma amostra de 703 eleitores, sendo esta estratificada segundo sexo, faixa etária, grau de escolaridade e posição geográfica. O trabalho de levantamento dos dados foi feito através de entrevistas pessoais durante os dias 21 a 24 de novembro de 2015, sendo acompanhadas 19,9% das entrevistas. A Paraná Pesquisas encontra-se registrada no Conselho Regional de Estatística da 3ª e 6ª Região sob o nº 3122/15 e é filiada à Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa - ABEP desde 2003. Tal amostra representativa do município de Fortaleza atinge um grau de confiança de 95,0% para uma margem estimada de erro de 4,0% para os resultados gerais. CEARÁ NEWS 7

Defensores públicos fazem vistoria em hospital universitário

DIVULGAÇÃO DPU            
                          
Os defensores públicos visitaram o Walter Cantídio ontem
A Defensoria Pública da União (DPU) vistoriou ontem o Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) e a Maternidade Escola Assis Chateaubriand, unidades do Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Ceará (UFC). Defensores concluíram que o principal problema das unidades é a falta de insumos.

Segundo a direção do Complexo Hospitalar, o atraso no repasse de verbas seria o motivo da carência. Na última terça-feira, 1º, o reitor da UFC, Henry Campos, anunciou o ressarcimento de R$ 5,9 milhões, em verbas atrasadas, pelo Ministério da Saúde. O montante é referente a setembro e deve suprir as demandas pelos próximos dois meses.

O defensor Walker Pachêco constatou que a problemática enfrentada pelos hospitais é “sistêmica” e que a redução dos serviços “é inaceitável”.  “Não foram verificados problemas com relação aos transplantes. Foi uma interrupção de procedimentos mais pontuais, que poderiam esperar”, concluiu.

A defensoria deve realizar, na próxima quinta-feira, 10, audiência pública para ouvir entidades médicas e pacientes sobre os problemas enfrentados pelo Complexo Hospitalar. Caso haja novos atrasos nos pagamentos, prejudicando o atendimento aos pacientes do HUWC e da Meac, a DPU afirma que entrará com uma ação civil pública para garantir a manutenção dos serviços com a força de uma decisão judicial. OPOVO

Dilma diz estar indignada e alfineta Cunha ao dizer que não possui conta no exterior

A presidente Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira, 2, que razões que fundamentam pedido de impechmeant de seu mandato são “inconsistentes e improcedentes” e se declarou “indignada” com a decisão do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que decidiu acolher os requerimentos de afastamento da petista. Em curto pronunciamento, ela ainda alfinetou Cunha ao afirmar que não possui conta no exterior e nunca ocultou patrimônio pessoal. O presidente da Câmara, que deu andamento ao pedido de impeachment nesta quarta-feira, é alvo de investigações pela Procuradoria-Geral da República no âmbito da Operação Lava Jato por supostamente possuir contas na Suíça das quais seria beneficiário. “Meu passado e meu presente atestam a minha idoneidade e inquestionável compromisso com as leis e as coisas públicas”, disse Dilma.

“São inconsistentes e improcedentes razões que fundamentam este pedido (de impeachment). Não existe nenhum ato ilícito praticado por mim, não paira contra mim nenhuma suspeita de desvio de dinheiro público. Não possuo conta no exterior, nem ocultei do conhecimento público existência de de bens pessoais. Nunca tentei coagir instituições ou pessoas na busca de satisfazer meus interesses”, declarou a presidente.

Beatriz Bulla, Carla Araújo e Isadora Peron - O Estado de S.Paulo

Agora falta dinheiro para o Pronatec

Mais um estelionato eleitoral de Dilma Rousseff sai do armário.

Instituições privadas de todo o país ameaçam suspender as aulas do Pronatec, a partir da próxima semana. Elas reclamam do atraso no repasse de verbas para o custeio do programa federal, com foco no ensino técnico e profissional.

Com isso, o Pronatec pode sofrer um novo revés neste ano, além da redução de 57% no número de vagas, em comparação a 2014. As escolas dizem que os depósitos não são feitos desde julho, e já há instituições que relatam dívidas de R$ 500 mil, sem condições de pagar pessoal e aluguel.

A suspensão das aulas pode afetar um contingente de 400 mil estudantes, matriculados em 987 unidades de ensino privado de todo o país. 

Brasil, uma vergonha lá fora e outra aqui dentro

Em seis minutos, quando você houver terminado de ler este texto, 12 brasileiros terão perdido o seu emprego: dois a cada minuto. Será difícil achar outro. Quem encontrar dificilmente será com um salário semelhante. Mas isso não é problema para a sempre “extremamente preocupada, estarrecida e muito chateada” da República Dilma Rousseff, que viajou na sexta-feira e está de volta após ter participado da Cúpula do Clima em Paris, para onde Barack Obama só foi no domingo.

Que Deus nos acuda! Nosso clima agora não é favorável – do Oiapoque ao Chuí. A sinistra do Meio Ambiente, Isabella Teixeira, que ficará na Europa duas semanas, na chefia da delegação brasileira nas negociações da mudança climática, informou há 15 dias que o desmatamento na Amazônia aumentou 16% de agosto de 2014 a julho último, longe da meta zero anunciada. Nunca no Brasil governo algum tomou a única atitude para pôr fim ao desmate da floresta tropical: simplesmente proibi-lo. Mas Dilma foi aquém ao cortar 72% das verbas programadas para combatê-lo. Com a Hileia em chamas, diz candidamente Isabella que a defesa do ecossistema não depende só de sua presença aqui. Enquanto isso, ardem reservas florestais no interior da Bahia.

Leia mais...

Baderna financiada

Desde que o PT chegou ao governo federal, o poder público vem financiando “movimentos sociais” que, mais do que oferecer soluções para problemas sociais concretos, estão sempre prontos para tumultuar o cotidiano dos brasileiros e o funcionamento das instituições. Embora seus nomes e siglas expressem uma determinada finalidade social, isso é apenas uma fachada para uma contínua e multifacetária intervenção nos mais variados assuntos. Essa aparente indeterminação de causas não é, no entanto, resultado de um descuido de seus líderes ou de falta de planejamento. Ao contrário, sua incansável – e aparentemente aleatória – atividade evidencia uma precisa disposição de atuar politicamente. Entre esses “movimentos sociais” tem destaque cada vez maior o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST). Nascido no fim dos anos 1990 a partir das fileiras do MST, seu objetivo é “combater a máquina de produção de miséria nos centros urbanos, formar militantes e acumular forças no sentido de construir uma nova sociedade”, segundo o site da organização.

O MTST não tem personalidade jurídica e utiliza associações para receber aportes do governo federal. A Associação de Moradores do Acampamento Esperança de Um Novo Milênio, vinculada ao MTST, é a que mais recebeu dinheiro público do “Programa Minha Casa, Minha Vida – Entidades” no Estado de São Paulo. Foram mais de R$ 81 milhões, quase cinco vezes mais que a segunda colocada entre as entidades beneficiadas pelo programa federal.

Leia mais...

Ministério libera R$ 6 mi e Hospital Universitário volta a atender população

Hospital-Walter-CantidioApós o anuncio na segunda-feira de que o Hospital Walter Cantídio e a Maternidade Escola suspenderiam vários serviços à população, por falta de repasses do Ministério da Saúde, eis que nesta terça-feira, o reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), ao qual as unidades hospitalares estão vinculadas, Henry Campos, disse em entrevista coletiva que os hospitais voltarão a funcionar normalmente. Segundo ele, o Ministério da Saúde liberou R$ 6 milhões de recursos federais referentes ao mês de setembro, que estavam atrasados. Com esse recurso, o funcionamento daquela unidade está garantido por dois meses. Atualmente o déficit mensal das duas unidades chega a R$ 10 milhões.

Segundo afirmou Henry, a verba será revertida em compra de insumos que garantirão o funcionamento normal da Hospital. Ele afirmou que os fornecedores garantiram a manutenção do abastecimentos de antibióticos e medicamentos. Na segunda-feira a direção da Unidade havia anunciado a suspensão de exames por imagem (tomografia, ultrassonografia e ressonância magnética) e dos transplantes, como fígado, rins, pâncreas e medula óssea. A informação era que o Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) e a Maternidade Escola Assis Chateaubriand diminuiriam em até 50% os seus leitos, devido à falta de repasse de verba. CEARAAGORA

Desempenho da economia brasileira só não é pior que o da Ucrânia

SÃO PAULO - A queda de 4,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre em relação a igual período de 2014 manteve o Brasil na rabeira de um ranking de 42 países elaborado pela Austin Rating. Na penúltima posição (41ª) da lista, entre julho e setembro a economia brasileira teve desempenho menos pior apenas que a da Ucrânia, que convive com uma guerra civil e cujo PIB encolheu 7% no período. Até a Rússia, que além de crise econômica enfrenta embargo de países ocidentais, e no segundo trimestre aparecia na antelanterna do ranking, passou o Brasil no segundo trimestre — seu PIB encolheu 4,1% no trimestre, colocando-a na 40ª posição da lista.

— Nos resultados do acumulado do ano até o terceiro trimestre, o principal destaque negativo, mais uma vez, ficou a cargo dos investimentos (-12,7%), refletindo o ambiente político extremamente conturbado e que afeta diretamente a contínua perda de confiança na economia — observou Alex Agostini, economista-chefe da Austin Rating e responsável pela elaboração do ranking. O economista cita ainda o consumo das famílias, que representa aproximadamente dois terços da formação do PIB, e foi o pilar do crescimento econômico nos últimos 12 anos, e que neste ano já acumula retração de 3,0%.

A Índia aparece no topo do ranking, com crescimento de 7,4% no PIB do terceiro trimestre ante o o mesmo período de 2014, à frente da China, que mesmo com a desaceleração na atividade doméstica está na segunda posição, com expansão de 6,9% na mesma comparação. Entre as economias latino americanas, o Peru é o mais bem colocado, com expansão de 2,9% no trimestre passado, na 12ª posição. Com expansão de 2,6%, o México é o 14º, e o Chile, com avanço de 2,2% no PIB, é o 22º. O GLOBO

 

O POVO flagra agente de limpeza deixando lixo em ciclofaixa

MAURI MELO            
                          
O POVO flagrou funcionário da Ecofor deixando lixo na ciclofaixa
Antes de ser entregue, a ciclofaixa na rua General Tertuliano Potiguara, na Aldeota, já é desrespeitada. Uma rampa de lixo impede a passagem de bicicletas. Funcionário da Ecofor, empresa de coleta seletiva concessionária da Prefeitura de Fortaleza, foi flagrado pelo O POVO ontem despejando resíduos na ciclofaixa. A empresa informou, em nota, que houve uma “falha no procedimento de trabalho e o material já foi recolhido”. 

Uma moradora da região, que não quis se identificar, reclama que, antes da intervenção, três contêineres eram utilizados pela comunidade. “Retiraram para pintar (a ciclofaixa) e ficamos sem ter onde colocar o lixo”, afirmou. De acordo com a Secretaria Regional II, a Empresa Municipal de Limpeza e Urbanização (Emlurb) realiza a coleta no bairros às segundas, quartas e sextas-feiras.

A ciclofaixa, que irá compreender também as ruas Oswaldo Cruz, Dom Expedito Lopes e João Brígido, faz parte do projeto de implantação da faixa exclusiva para ônibus na rua Padre Valdevino. Segundo a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), a intervenção será concluída em uma semana. Em nota, o órgão informa que os trechos finalizados da ciclofaixa já recebem fiscalização volante de agentes.

Até a próxima semana, a fiscalização na faixa da rua Padre Valdevino será feita em caráter educativo. Educadores da AMC orientam os condutores e os moradores do entorno distribuindo informativos sobre a intervenção.

Falta de insumos impede atendimentos no Walter Cantídio e no HGF

       
Isabel Costa           O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. '; document.write(''); document.write(addy_text56325); document.write('<\/a>'); //-->\n O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.         
Rômulo Costa           O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.         
EVILÁZIO BEZERRA            
                          
Direção do Walter Cantídio emitiu comunicado avisando que transplantes deixarão de ser realizados
A insuficiência de medicamentos e insumos médicos afeta o atendimento em duas das maiores unidades terciárias de Fortaleza: o Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC) e o Hospital Geral de Fortaleza (HGF). A direção do HUWC emitiu comunicado avisando que transplantes deixarão de ser feitos e os serviços serão reduzidos até atingir 50% da capacidade. Ao O POVO, médicos do HGF relataram a ausência de itens básicos — como luvas e agulhas. A situação foi agravada nos últimos 20 dias.

O presidente da Associação dos Médicos do HGF, Jaime Benevides, diz que, além da falta de insumos, os profissionais lidam com restrições severas na oferta de elementos cirúrgicos, tubos para coleta, reagentes químicos e antibióticos. “Todos os serviços estão sendo prejudicados. Estamos suspendendo cirurgias, procedimentos programados não estão acontecendo”. Com a restrição no HUWC, profissionais de saúde temem que o HGF seja ainda mais penalizado.

A assessoria de imprensa da unidade estadual enviou nota afirmando que o hospital “mantém a rotina de funcionamento”. O texto ainda diz que no domingo, 29, o HGF fez 51 atendimentos na emergência e realizou 33 internações. No sábado, foram 73 atendimentos na emergência e 45 internações. Indagada sobre a falta de insumos, a assessoria afirmou que a nota, que não trata do assunto, seria o único pronunciamento.

Leia mais...

Compartilhe