Busque abaixo o que você precisa!

Fomos surpreendidos por ataques à Justiça Eleitoral nas eleições, diz Rosa Weber

Rafael Moraes Moura/BRASÍLIA / o estado DE SP

16 de maio de 2019 | 20h36

 

Ministra Rosa Weber. FOTO: DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO

 

BRASÍLIA – A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, disse nesta quinta-feira (16) que foi surpreendida com ataques à Justiça Eleitoral durante o pleito do ano passado. Ao discursar na abertura do seminário internacional “Fake news e eleições”, em Brasília, Rosa frisou que a divulgação em larga escala das notícias falsas é um desafio a todas as nações democráticas, inclusive o Brasil.

Enquanto o tema retorna à pauta do TSE, um inquérito do Supremo apura a disseminação de ameaças, ofensas e fake news disparadas contra integrantes da Corte e seus familiares – e já levou à censura da revista digital “Crusoé” e do site “O Antagonista”. Uma ação do partido Rede Sustentabilidade que pede a suspensão do inquérito deve ser discutida pelo plenário do Supremo no segundo semestre.

Nas últimas eleições, o TSE se tornou alvo de notícias falsas disseminadas nas redes sociais e aplicativos, que lançavam dúvidas sobre a confiabilidade da urna eletrônica. Um dos episódios mais emblemáticos foi a de um vídeo com uma urna que supostamente se “autocompletava” quando a tecla “1” era digitada, mostrando em seguida a imagem do então candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad. O vídeo acabou desmentido pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG).

Leia mais:Fomos surpreendidos por ataques à Justiça Eleitoral nas eleições, diz Rosa Weber

Vereadores estão incomodados com assessor do prefeito Roberto Cláudio

BRUNO LOPES

Uma das estratégias do PDT para a sucessão é preparar chapas fortes na eleição proporcional para a Câmara Municipal. O prefeito garante que quer lançar nomes da gestão para o embate, mas há insatisfação entre alguns parlamentares aliados.

Há um clima de total indefinição entre os vereadores, por conta do fim das coligações proporcionais. A preço de hoje, poucos partidos têm, na Capital, condição de formar uma chapa forte de vereadores, um deles é o próprio PDT. Os demais ainda aguardam uma definição de como será a montagem.

Muitos admitem mudar de partido até outubro. Um deles é o líder do prefeito, Ésio Feitosa, ao PDT. Vereadores experientes consideram que só os grandes partidos sobreviverão no ano que vem.

Leia mais:Vereadores estão incomodados com assessor do prefeito Roberto Cláudio

Fortaleza 2020: Capitão Wagner é favorito? Quem será o candidato de Roberto Cláudio?

CAPITÃO WAGNER

O episódio 31 do Jogo Político discute a eleição municipal em Fortaleza. Quem são as forças que se movimentam? As estratégias e as chances de cada grupo.

Capitão Wagner (Pros) larga como favorito? Quem deve apoiá-lo? O PSDB ficará com ele? Ele será o candidato de Jair Bolsonaro na Capital? Ou o PSL terá candidato próprio?

E na base aliada? Quem será o candidato de Roberto Cláudio (PDT)? Quais as alternativas? Que surpresas podem surgir? Qual a estratégia do grupo Ferreira Gomes? O prefeito apostará num nome pouco conhecido? Moroni Torgan (DEM) tem chance? Cid Gomes (PDT) pode ser a alternativa?

Os jornalistas Guálter George, editor de Política do O POVO; Ítalo Coriolano, editor-chefe da rádio O POVO CBN; Carlos Mazza, colunista de Política; e Érico Firmo, também colunista, analisam as perspectivas para a sucessão municipal de 2020.

Procuradoria Regional Eleitoral pede inelegibilidade, multa e cassação de Audic Mota

Procuradoria Regional Eleitoral pede a inelegibilidade, pelo abuso de poder político, e multa pela configuração de conduta vedada, além da cassação do registro/diploma do deputado estadual Audic Mota (PSB). A decisão é do procurador regional eleitoral, Anastácio Nóbrega Tahim Júnior, expedida na última terça-feira, dia 30, e é resultado de uma ação interposta pela deputada estadual Patrícia Aguiar (PSD).


De acordo com a decisão o “abuso do poder político e midiático, bem como conduta vedada, beneficiou o então candidato a deputado estadual Audic Mota”, consta o parecer No 7582/2019-2019/PRE/ANTJ. Esse parecer é complementar e confirma a decisão anterior do mesmo teor.

“Dessa forma, tem-se que a nova manifestação do representado (deputado Audic Mota) não incluiu nenhum fato novo que pudesse vir a desconstituir o pleito autoral, motivo pelo qual seguimos com a posição de que a presente AIJE deve ser julgada procedente, devido a todos os fatos já expostos em parecer emitido por esta PRE (ID 1573977)

Leia mais:Procuradoria Regional Eleitoral pede inelegibilidade, multa e cassação de Audic Mota

Plenário da Câmara pode ter o retorno de nomes conhecidos da política cearense em 2020

PLENARIO DA CMF

 

A disputa pelas 43 vagas de vereador de Fortaleza no próximo ano promete ser uma das mais acirradas da história recente da Capital. Além de nomes novosque devem chegar com força ao embate nas urnas, apoiados no espaço dasredes sociais, a movimentação de ex-deputados, com alto potencial de votos, faz os atuais vereadores repensarem as estratégias.

Mesmo em um cenário de poucas definições, como as incertezas sobre a popularidade do presidente Jair Bolsonaro e a própria articulação partidária ainda sem uma resolução mais esclarecedora, os nomes citados nos corredores já dão a dimensão do embate que haverá nas ruas e nas urnas.

Os ex-parlamentares, muitos dos quais derrotados nas eleições passadas, costuram apoios. Ex-deputado federal, Ronaldo Martins, atual secretário de Esporte de Fortaleza, conseguiu mais de 100 mil votos para a Câmara Federal nas últimas eleições, mas acabou ficando de fora. Ele vem anunciando a correligionários do PRB que tentará retorno ao Legislativo Municipal.

Leia mais:Plenário da Câmara pode ter o retorno de nomes conhecidos da política cearense em 2020

Compartilhe