Busque abaixo o que você precisa!

Inflação de 2015 fica em 10,67%, a maior em 13 anos

frutas

RIO - Em um ano marcado pelo aumento nos preços de alimentos, energia elétrica e combustíveis, a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou 2015 em 10,67%, a maior taxa desde 2002, quando ficou em 12,53%. No mês, o índice ficou em 0,96%, o mais alto para dezembro também em 13 anos. O IPCA do último mês de 2014 ficou em 0,78%, encerrando o ano em 6,41%. Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), a inflação medida pelo IBGE para quem ganha até cinco salários mínimos e que é o mais utilizado nas negociações salariais, fechou 2015 em 11,28%, bem acima dos 6,23% de 2014. A taxa acumulada no ano também foi a mais elevada desde 2002, quando ficou em 14,74%. Os alimentos foram os que mais pressionaram o índice, com variação de 12,36%, enquanto os produtos e serviços não alimentícios ficaram 10,80% mais caros.

Leia mais...

Cardozo manda apurar vazamentos de mensagens de ministros

JACQUES WAGNER

BRASÍLIA — O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, divulgou nota na quinta-feira informando que a Polícia Federal (PF) investigará o vazamento de mensagens trocadas entre Leo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e os ministros Jaques Wagner (Casa Civil) e Edinho Silva (Secretaria de Comunicação Social). As conversas tratam de doações eleitorais. Cardozo disse que determinou “a abertura imediata de inquérito policial”, pois as mensagens, “em princípio, estão protegidas por sigilo legal”.

Reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo” na quinta-feira mostrou que Wagner, em 2014, prometeu ajuda ao empreiteiro para liberar recursos de um convênio do Ministério dos Transportes. Na quinta, a "GloboNews" também divulgou uma série de mensagens trocadas entre 2012 e 2014 por Leo Pinheiro e Edinho Silva. As mensagens tratam do cronograma de doações para a campanha de reeleição de Dilma Rousseff, da qual Edinho era o tesoureiro.

Leia mais...

Caderneta de poupança tem maior fuga de recursos da história em 2015

Em um ano marcado pela forte crise econômica, com alta da inflação, dos juros, do desemprego e de vários tributos, as retiradas de recursos da caderneta de poupança superaram os depósitos em R$ 53,56 bilhões em 2015, informou Banco Central nesta quinta-feira (7). Foi a primeira vez em dez anos que mais recursos saíram que entraram da caderneta, e a maior fuga de valores desde o início da série histórica do BC, em 1995. Até então, o ano com maior saída de recursos havia sido 2003, quando R$ 10,42 bilhões deixaram a caderneta de poupança. Em 2013 e 2014, respectivamente, R$ 71 bilhões e R$ 24 bilhões haviam entrado na modalidade. Depósitos, saques e saldo da poupança No ano passado, os depósitos em caderneta de poupança somaram R$ 1,90 trilhão, ao mesmo tempo em que os saques de recursos totalizaram R$ 1,96 trilhão. Já os rendimentos creditados nas contas dos poupadores somaram R$ 47,43 bilhões em 2015.

Leia mais...

Receita abre nesta sexta consulta a lote residual do IR de anos anteriores

A Receita Federal informa que, a partir das 9h desta sexta-feira (8), estará disponível para consulta o lote multiexercício residual de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física referentes aos exercícios de 2015, 2014, 2013, 2012, 2011, 2010, 2009 e 2008. Segundo o Fisco, o lote contempla 207.573 contribuintes e o crédito bancário será realizado no dia 15 de janeiro, totalizando o valor de R$ 450 milhões. A maior parte do lote refere-se a restituições do IR 2015 para um total de 167 mil contribuintes.

Confira a seguir os montantes de restituição para cada exercício, e a respectiva taxa Selic aplicada. Ano do exercício/Número de Contribuintes/Valor (R$)/Correção pela Selic

2015 - 167.186, R$ 361.399.663,31, (9,79%) 2014 - 22.713, R$ 46.397.803,31 (20,71%) 2013 - 8.819, R$ 16.515.422,56 (29,61%) 2012 - 5.267, R$ 11.919.850,33 (36,86%) 2011 - 3.469, R$  3.143.789,51 (47,61%) 2010 - 71,  R$ 299.411,28 (57,76%) 2009 - 34, R$ 97.858,21 (66,22%) 2008 - 14, R$ 226.201,49 (78,29%)

Como saber se está na malha fina? A Receita Federal lembra que os contribuintes podem saber se sua declaração do Imposto de Renda caiu na malha fina devido a erros, omissões ou inconsistências. Para isso, é preciso acessar a página da Receita Federal e consultar o chamado "extrato" do Imposto de Renda – disponível no e-CAC (Centro Virtual de Atendimento). Nesse serviço, o contribuinte consegue saber quais pendências ou inconsistências foram encontradas pelo Fisco na sua declaração do IR.

Para acessar esse extrato, é necessário utilizar o código de acesso gerado na própria página da Receita Federal ou certificado digital emitido por autoridade habilitada.

Em posse da informação sobre pendências e inconsistências, o contribuinte pode enviar uma declaração retificadora ao Fisco e, deste modo, sair da malha fina. Quando a situação for resolvida, caso tenha direito à restituição, ela será incluída nos lotes do IR. PORTAL G1

Pré-estação: Funceme registra chuva em 85 municípios

 

JW3544 A atuação de um Vórtice Ciclônico de Altos Níveis – sistema meteorológico comum durante a pré-estação chuvosa no Ceará – foi responsável pelo registro de precipitações em 85 municípios do Estado entre a manhã de ontem, 6 de janeiro, e a manhã de hoje, 7. A chuva foi mais intensa em Icó (com 130mm), Tauá (105mm) e Crateús, Arneiroz e Quiterianópolis (as três cidades com registro de 95mm). Na Capital, o índice foi de 19,7mm.
De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), apesar de trazer alívio para o calor excessivo deste verão, as precipitações não têm relação com a qualidade da quadra chuvosa, entre fevereiro e maio, já que nesse período o sistema que atua é a Zona de Convergência Intertropical. A previsão climática para a quadra chuvosa de 2016 somente será divulgada pela Funceme no dia 20 de janeiro.
Os meteorologistas preveem que amanhã permaneçam as condições favoráveis para as precipitações. Dessa forma, a previsão é de nebulosidade variável com chuva em todas as regiões do Estado.
Céu nubladoPrevisão do tempo para esta sexta-feira (8) e sábado (9)
Quem pretende ir a praia neste fim de semana é bom se programar, pois o clima pode não favorecer o lazer. De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), a previsão para esta sexta-feira (8) é de nebulosidade variável com chuvas em todas as regiões do estado ao longo do dia. Já no sábado (9), ao longo do dia, a previsão é de nebulosidade variável com possibilidade de chuvas isoladas em todas as regiões cearenses.
Assessoria de Comunicação da Funceme Guto Castro Neto - (85) 3101.1099 ou 98814.4194

Foto: José Wagner / Governo do Ceará/Sabrina Lima Gestora de Célula / Secretarias Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado Casa Civil O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.  / (85) 3466.4898

Izolda Cela participa de ação intensiva de enfrentamento ao Aedes aegypti em Sobral

O bairro Terrenos Novos, na Zona Norte de Sobral, foi o alvo da ação intensiva contra o Aedes aegypti realizada durante a tarde desta quinta-feira (7), e que contou com a participação da vice-governadora do Estado, Izolda Cela. Mais cedo, ela esteve no Centro de Convenções da cidade para o lançamento do Plano Estadual de Enfrentamento ao Mosquito Aedes aegypti na Zona Norte do Estado. Prefeitos, secretários municipais e agentes MVS6243 de saúde e de endemias de 55 municípios da Região Norte do Estado lotaram o espaço da solenidade.

Ao lado do prefeito de Sobral, Clodoveu Arruda, e do secretário da Saúde do Estado, Henrique Javi, a vice-governadora visitou casas do bairro e conversou com os moradores sobre os cuidados com a propagação do mosquito, responsável pela transmissão da dengue, zika e chikungunya. Cerca de 100 agentes de combate reforçaram a ação, que partiu da Escola Yedda Frota.

Quem recebeu boa nota na avaliação foi o senhor Antônio José Oliveira do Vale, um dos que abriu as portas de casa para os agentes. Mesmo com cinco gaiolas para passarinhos, ele demonstrou estar em dia com os cuidados básicos, revelando fazer diariamente a limpeza dos bebedouros para as aves. O depósito de água que fica MVS6221 embaixo da geladeira da residência também estava seco. "O senhor merece nota 10", classificou o secretário Henrique Javi.

Em outra residência da mesma rua o trabalho deu resultado rapidamente e três larvas foram encontradas, com o devido tratamento sendo realizado imediatamente no local. "Um detalhe importante desse contato casa a casa é que as pessoas dêem um retorno, falem os seus hábitos, até para que os agentes tenham cada vez mais conhecimento e saibam agir da melhor maneira".

07.01.2016

Ciro Câmara
Gestor de Célula / Secretaria

Fotos: Marcos Studart / Governo do Ceará

Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado
Casa Civil


O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. 

 / (85) 3466.4898

Greve dos médicos peritos do INSS chega a quatro meses

“A greve dos médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) completou quatro meses essa semana e já é a paralisação mais longa da categoria. As negociações com o governo não avançaram nos últimos dias e não há previsão para o término da greve, de acordo com o presidente da Associação Nacional dos Médicos Peritos (ANMP), Francisco Eduardo Cardoso. Entre as reivindicações dos profissionais está o aumento salarial de 27%, em no máximo duas parcelas anuais, a efetivação em lei da redução da carga horária de 40 horas para 30 horas semanais, a recomposição do quadro de servidores e o fim da terceirização da perícia médica com retorno da exclusividade da carreira médica pericial. Cardoso disse que as negociações entre o governo e a categoria estão paralisadas. “Aparentemente, o governo está usando a estratégia de cansar os peritos. Mas estão sacrificando a população junto. É a greve mais longa da perícia do INSS como um todo. Infelizmente precisamos manter essa greve por conta de um governo que não negocia e não quer negociar”, disse.

Leia mais...

Poupança perde R$ 53,5 bilhões em 2015, maior valor em 20 anos


Foi por pouco que 2015 não teve saques maiores do que depósitos na caderneta de poupança em todos os meses. Pela primeira vez no ano, o resultado de dezembro ficou positivo em R$ 4,789 bilhões, segundo dados divulgados pelo Banco Central. O mês costuma ser favorável ao investimento por causa do pagamento do 13º salário. Mesmo assim, no ano, o total resgatado dessa aplicação foi de R$ 53,568 bilhões, o maior volume de retiradas desde que o BC começou a compilar as informações, em 1995.

O resultado de dezembro ficou maior até do que o de idêntico mês de 2014, quando as aplicações líquidas ficaram em R$ 3,572 bilhões. Em 2013, os investimentos na caderneta somaram R$ 11,201 bilhões no último mês do ano. 

Até o dia 30 de dezembro, o saldo já estava positivo em R$ 3,754 bilhões, o que não havia sido visto em nenhum mês do ano passado. O que ocorreu ao longo de 2015 foram cifras negativas até à véspera do fechamento do mês, com o sazonal aumento dos depósitos na caderneta no último dia útil. Isso costuma ocorrer por causa de aplicações automáticas da conta corrente que alguns investidores já deixam programadas para ocorrer.

Leia mais...

Dilma quer fazer reforma da Previdência aumentando a idade mínima

A presidente Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira que o governo vai "perseguir" neste ano uma reforma da Previdência aumentando a idade mínima para a aposentadoria. A proposta colide com o que é defendido pelo PT, que vê a mudança como "suicídio político" num ano de eleições municipais.

"Não é possível que a idade média de aposentadoria no Brasil seja de 55 anos", afirmou a presidente, em café da manhã com jornalistas, no Palácio do Planalto. Na primeira entrevista do ano, Dilma garantiu que, mesmo com as alterações pretendidas, o governo não mexerá em direitos adquiridos. "O Brasil vai ter de encarar a questão da Previdência. Essa é uma equação que atinge todos os países desenvolvidos e emergentes. Todos eles buscaram aumentar a idade de acesso (para obtenção do benefício)", insistiu. Para a presidente, é possível discutir também um modelo que mescle a idade com tempo de contribuição, a chamada fórmula 85/95 progressiva.

Além dos direitos adquiridos, Dilma disse ser necessário observar um outro ponto importante. "É o problema do tempo de transição. Ninguém vai fazer uma reforma dessas - porque ela implica razões técnicas e também consenso político - sem que você considere um período de transição que leve em conta tanto direitos adquiridos quanto expectativa daqueles que já estão no mercado de trabalho", argumentou a presidente.

'Governo está empenhado em garantir que 2016 seja melhor do que 2015'

'Governo está empenhado em garantir que 2016 seja melhor do que 2015'

Dilma afirmou que vai abrir o debate sobre o tema chamando o "Fórum de Trabalho e Previdência", formado por trabalhadores, empresários, governo e Congresso, além de levar a discussão ao Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, que será reativado. "A base para que uma reforma da Previdência seja sustentável no Brasil é o diálogo, é perceber os diferentes segmentos, tendo clareza de que há um problema real e que a solução não pode passar por você se esconder, mas por enfrentar", insistiu a presidente. 

Leia mais...

Leia Mais:http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,o-maior-tombo-das-montadoras-na-era-pt

Desde 1987, no governo Sarney, quando as vendas de veículos novos nacionais caíram 33,1% em relação a 1986, não havia um recuo tão grande nos licenciamentos de veículos – 26,5% entre 2014 e 2015, incluindo importados. O ano de 2015 marcou uma queda recorde de licenciamentos nos governos do Partido dos Trabalhadores (PT), que sempre procuraram amparar as montadoras de veículos e ressaltar sua importância como geradoras de empregos de boa qualidade.

A queda é contínua desde 2012, quando 3,8 milhões de veículos nacionais e importados foram licenciados. As vendas caíram para 3,7 milhões de unidades em 2013, para quase 3,5 milhões em 2014 e não chegaram a 2,57 milhões no ano passado. Se no ano o recuo foi de 26,5%, em três anos alcançou 32,4%. Mas foi em 2015 que a intensidade da queda ganhou ares dramáticos, quando as vendas de veículos foram 1,23 milhão inferiores às de 2012 e 930 mil menores do que as de 2014.

Leia mais...

Compartilhar Conteúdo