Busque abaixo o que você precisa!

Dirigente do PSB quer parceria de Tasso nas próximas eleições

0805cd0201

Com o título “Para onde vai Tasso Jereissati?”, eis  artigo de Barros  Alves, escritor e secretário-geral do PSB do Ceará. Ele faz um avaliação da postura política do tucano e o convida a parceria com o PSB. Confira: 

A indagação do título em epígrafe bem que poderia ser desvestida do personalismo evidente. Algo como “Para onde vai o PSDB?” Ocorre que, sem nenhum demérito para as lideranças da social democracia no Ceará, o senador Tasso Jereissati assoma como o nome a quem todos escutam com grande respeito, mercê de suas inegáveis qualidades de político e administrador, cujos tato e tino já foram sobejamente demonstrados ao longo de sua trajetória como homem público que elevou o padrão ético na administração do Estado do Ceará.

Neste momento em que se abate sobre o Brasil uma crise ética e econômica sem precedentes na nossa história, Jereissati tem sido referência de firmeza e de prudência no Congresso Nacional. No Ceará todos sonham com o seu apoio nos embates político-eleitorais que se avizinham. O líder social-democrata, antes demonizado pela esquerda, hoje é cortejado por muitos assentados em todos os espectros político-ideológicos do nosso Estado, aí incluindo-se a mesma esquerda lulo-petista que o apedrejava.

Leia mais:Dirigente do PSB quer parceria de Tasso nas próximas eleições 

Políticos preveem eleição de 2016 com maior uso da máquina pública

eleicao

BRASÍLIA — Os partidos políticos começam os preparativos para a primeira campanha sem doações de empresas privadas prevendo estruturas menores e um peso ainda maior das máquinas governamentais. Tesoureiros e dirigentes das principais legendas, ouvidos pelo GLOBO, avaliam que, como não há cultura de doação por pessoas físicas e o dinheiro do Fundo Partidário é pouco para cobrir os custos, a disputa nas cidades será com muito improviso e criatividade.

— Estamos conversando com os candidatos e a militância para explicar que vivemos um outro momento, que a campanha será mais simples, mais militante, mais corpo a corpo, mais diálogo. Será uma campanha mais modesta, sem a suntuosidade que estava acontecendo — diz o ex-deputado Márcio Macedo, tesoureiro do PT, sigla que lançou campanha para tentar aumentar a arrecadação entre os filiados.

Leia mais:Políticos preveem eleição de 2016 com maior uso da máquina pública

Rozario Ximenes em Audiência com Danilo Forte

Audiência com dep Danilo Forte. Muito proveitosa!

 
Foto de Rozário Ximenes.
Rozario Ximenes em visita ao presidente do PSB, deputado Federal Danilo Forte, com quem conversou logamente a respeito da politica em Canindé. Foi feita uma ampla analise do panorama atual na terra de São Francisco. Nessa audiência Danilo Forte já antecipou seu apoio, a provável candidatura de Rozario Ximenes à prefeitura de Canindé, uma exigencia de parte, apreciavel, do povo Canideense. Rozario Ximenes vem dando sequencia ao trabalho politico deixado por seu esposo (In memoria) Ximenes Filho. Quem também já admitie concorrer a uma cadeira no Legislativo de Canindé é sua Filha Sara Ximenes. Em conversa conosco Rozario Ximenes nos confirmou que logo agora em Fevereiro haverá uma rodada de pesquisa, que balizxará sua decisão final de participar da campanha eleitoral 2016, na cidade da fé.

O alto custo dos partidos

Desde a proibição pelo Supremo Tribunal Federal (STF) das doações de pessoas jurídicas aos partidos políticos – decisão correta, que contribui enormemente para o aperfeiçoamento da democracia –, não é raro ouvir a queixa de que os partidos terão grandes dificuldades financeiras nas próximas eleições. Tal dificuldade será muito bem-vinda, pois em tese forçará as agremiações políticas a procurar maior proximidade com o eleitorado, seja em busca das doações de pessoas físicas, seja porque não poderão pagar a intermediação de caros e extravagantes marqueteiros. No entanto, a situação financeira dos partidos ainda está distante de depender tão somente de seus esforços. Apesar de serem entidades privadas, os partidos recebem polpudos recursos públicos.

Leia mais:O alto custo dos partidos

TSE divulga limites de gastos para as eleições de prefeito e vereador

Já está disponível no portal do Tribunal Superior Eleitoral o detalhamento dos limites de gastos para os cargos de vereador e prefeito nas eleições municipais deste ano. A partir de agora, com as alterações promovidas pela Reforma Eleitoral 2015 (Lei 13.165), o teto máximo das despesas dos candidatos será definido com base nos maiores gastos declarados na circunscrição eleitoral anterior, no caso as eleições de 2012. De acordo com a norma, no primeiro turno do pleito para prefeito o limite será de 70% do maior gasto declarado para o cargo em 2012. No entanto, se a última eleição tiver sido decidida em dois turnos, o limite de gasto será 50% do maior gasto declarado para o cargo no pleito anterior. A norma diz ainda que nos municípios com até 10 mil eleitores, o limite de gastos será de R$ 100 mil para prefeito e de R$ 10 mil para vereador. Neste caso, será considerado o número de eleitores existentes no município na data do fechamento do cadastro eleitoral.

Leia mais:TSE divulga limites de gastos para as eleições de prefeito e vereador

Compartilhe