Busque abaixo o que você precisa!

Debate inaugural não produzirá virada de votos

Nenhum dos quatro principais presidenciáveis —Bolsonaro, Marina, Ciro e Alckmin— protagonizou nada parecido com um tropeço no primeiro debate presidencial de 2018. Por isso, é improvável que o evento resulte numa virada de votos. Serviu apenas para consolidar posições. O canibalismo esteve no limite do aceitável. Os contendores se deram conta de que, a essa altura, a plateia quer mais soluções do que sangue.

Leia mais:Debate inaugural não produzirá virada de votos

Principal atração do debate, Bolsonaro agrada críticos e apoiadores

Igor Gielow /folhade sp
SÃO PAULO

A maior curiosidade política acerca do debate dos presidenciáveis era saber se como se sairia Jair Bolsonaro (PSL), o candidato neófito que lidera a disputa sem Lula a esta altura. A resposta é um ambíguo "depende".

Para seus apoiadores, o fato de ele ter sido provocado por um agitador de esquerda como Guilherme Boulos (PSOL) apenas reforça convicções. Pregou a convertidos na fala, bem resolvida, sobre "quem é o ministro da Educação?".

Boulos, aliás, protagonizou uma curiosidade lateral: pareceu querer encarnar Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ignorado na noite. Trocou o cavanhaque por uma barba lulista e fez a defesa do ex-presidente, vestido de um branco distante do vermelho usual.

Quem rejeita Bolsonaro poderá, por sua vez, comemorar o fato de que ele foi obrigado a falar sobre patrimônio, funcionária fantasma e se embananar ao discutir emprego de mulheres. Apertado aqui e ali, usou a saída de sempre: falou generalidades e mal do PT.

Leia mais:Principal atração do debate, Bolsonaro agrada críticos e apoiadores

Principais erros e acertos dos candidatos no primeiro debate

Alberto Bombig, O Estado de S.Paulo

10 Agosto 2018 | 09h36

primeiro debate entre os candidatos à Presidência da República das eleições 2018 trouxe poucas ideias e projetos para o futuro do País. Confira na análise abaixo a avaliação da participação de cada um dos presidenciáveis. 

Jair Bolsonaro (PSL)

Errou ao tentar minimizar o duro ataque desferido contra ele por Guilherme Boulos, que o chamou de "racista" e "homofóbico", além de questionar seu desempenho como parlamentar e o uso do auxílio-moradia mesmo tendo imóvel próprio; num debate, deixar acusações graves sem uma resposta peremptória tende a ser nocivo no longo prazo.

Acertou em priorizar seu público, insistindo na crítica à corrupção e ao PT. 

Leia mais:Principais erros e acertos dos candidatos no primeiro debate

Ausência do PT no debate reforça inelegibilidade de Lula, dizem analistas

Paulo Beraldo e Elizabeth Lopes, O Estado de S.Paulo

A ausência do candidato do PT no primeiro debate presidencial das eleições 2018 reforça a inelegibilidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato, avaliam analistas ouvidos pelo Estado na manhã desta sexta-feira, 10. Preso em Curitiba desde 7 de abril pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o petista não obteve autorização judicial para participar do programa.

O cientista político Rodrigo Prando, da Universidade Presbiteriana Mackenzie, comenta que a ausência partido no debate faz o eleitorado entender algo que ainda não estava claro: a inelegibilidade do ex-presidente Lula. "Simbolicamente, foi importante para as pessoas entenderem que, juridicamente, a manobra do PT de colocar o Lula em evidência não surte efeito legal", afirma. "É uma estratégia eleitoral, política", diz. 

Leia mais:Ausência do PT no debate reforça inelegibilidade de Lula, dizem analistas

Primeiro debate da eleição 2018 reúne 8 presidenciáveis por mais de 3 horas na TV

Oito candidatos à Presidência da República participaram na noite desta quinta-feira (9) de um debate na TV Bandeirantes. O debate durou 3 horas e 13 minutos e terminou na madrugada desta sexta (10).

Por sorteio, os candidatos ficaram posicionados na seguinte ordem (da esquerda para a direita): Alvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Jair Bolsonaro (PSL), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB) e Ciro Gomes (PDT).

Antes do início do debate, o mediador Ricardo Boechat informou que a organização convidou o candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso. Mas ele foi impedido pela Justiça de participar.

Durante o encontro, os postulantes apresentaram propostas sobre emprego, educação, segurança pública, desenvolvimento, juros, aborto, entre outros pontos.

Leia mais:Primeiro debate da eleição 2018 reúne 8 presidenciáveis por mais de 3 horas na TV

Compartilhe