Busque abaixo o que você precisa!

Tragédia e farsa - Luiz Sérgio Henriques

Quando se escrever sobre estas últimas semanas com certo distanciamento, e não sob o signo de polarizações políticas simplórias, algum cientista social do futuro notará, talvez com divertimento, que o espectro de Karl Marx andou rondando o País. Não que estejamos à beira de revolução violenta ou prestes a enfrentar catástrofe de sinal oposto, rumo à contrarrevolução. O Marx que nos tem assediado, ao contrário, é o autor fulgurante do 18 Brumário, que narra, com indivíduos de carne e osso, a história do golpe de Luís Bonaparte, o sobrinho que, a seu ver, surgia como repetição banal do tio extraordinário.

Leia mais...

Para Dilma, reação demorada foi erro

A presidente Dilma Rousseff chega hoje à mais importante batalha de sua vida sem saber se conseguirá sobreviver, mas convencida de que o seu maior erro não foi enveredar pelo caminho do ajuste nem subestimar o desgaste da Operação Lava Jato ou autorizar manobras conhecidas como pedaladas fiscais. Dilma se penitencia pela demora em reagir à “conspiração” dentro do Palácio do Planalto – promovida, no seu diagnóstico, pelo vice-presidente Michel Temer – e por ter se distanciado de seu “criador”, Luiz Inácio Lula da Silva.

Leia mais...

Oposição aprende a enfrentar PT após 13 anos

protesto diorio 932

A narrativa do segundo processo de impeachment desde a redemocratização começa de forma difusa com as primeiras manifestações logo após o segundo turno das eleições de 2014, segue por um caminho tortuoso em 2015 que se consolida como épico nos últimos três meses, quando os movimentos de rua e os partidos políticos passaram a atuar de forma integrada e orgânica.

Leia mais...

Fortaleza tem reforço no policiamento neste domingo

Policiamento será reforçado nos pontos de manifestação para evitar conflitos na Capital ( FOTO: Kiko Silva )

A votação de abertura do impeachment da presidente Dilma Rousseff, marcada para este domingo, fez Fortaleza ganhar reforço no policiamento ostensivo. Manifestações foram marcadas para ocorrer na Capital.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), explicou o esquema montado em Fortaleza. O equipamento utilizado na Copa do Mundo, em 2014, servirá mais uma vez para controle das ações e tomada rápida de decisões por parte dos comandantes.

Além disso, outros órgãos federais, Estaduais e Municipais também deverão tomar parte na operação realizada na Capital.

"Em virtude de manifestações agendadas para o próximo domingo (17), a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que o Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR) estará ativado, com a presença da cúpula da SSPDS e de suas vinculadas - Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Perícia Forense.

Leia mais...

A solidão de Dilma Rousseff - ÉPOCA

>> Trecho da reportagem de capa de ÉPOCA desta semana:

Poucas residências são tão belas e solitárias quanto o Palácio da Alvorada. A combinação de vidro e concreto, à beira do Lago Paranoá, fica distante de todo o resto de Brasília, uma forma de resguardar e diferenciar sua moradora dos outros habitantes da cidade. Dilma está acostumada. Mora no distante Alvorada desde 2011. Contudo, o avançar do impeachment alterou seus hábitos, parece ter encurralado a presidente até mesmo dentro de sua residência.

Leia mais...

Hospital de Messejana sob nova direção

22631bac-f11b-4d1c-90c1-f233e65e269e

O médico cardiologista Frederico Augusto de Lima e Silva é o novo diretor-geral do Hospital de Messejana, um dos 10 hospitais da rede pública do Governo do Estado. Com 68 anos de idade, ele conhece e vive há 41 anos a assistência e gestão da saúde pública. ¨Dr. Fred¨, como é conhecido, atende pacientes com doenças cardíacas na rotina do Hospital de Messejana, onde já foi diretor durante duas gestões. Frederico Augusto foi secretário da Saúde do Estado, em 1990, e também o primeiro superintendente da Escola de Saúde Pública do Estado, em 1993. Ainda na rede pública estadual foi diretor do Instituto de Prevenção do Câncer (IPC) e diretor da Fundação de Saúde do Estado do Ceará (Fusec). BLOG DO ELIOMAR

Brasil deve R$ 3,2 bilhões a órgãos como ONU e OMS

A presidente Dilma Rousseff se reúne com o secretário geral da ONU, Ban Ki-Moon, durante assembleia em Manhattan, Nova York - 28/09/2015
Uma das maiores dívidas é com as Organização das Nações Unidas, avaliada em R$ 1,3 bilhão, incluindo as contribuições do Brasil para as missões de paz(Andrew Kelly/Reuters)

O Brasil já soma uma dívida com organismos internacionais de mais de 3,2 bilhões de reais, um volume inédito, que coloca em risco a participação do país na tomada de decisões. No orçamento deste ano, porém, a previsão é de que haja apenas 83,7 milhões de dólares para esses pagamentos e, juntando valores ainda de 2014 e 2015, o total autorizado a ser usado pelo governo para quitar a dívida é de apenas 250 milhões de reais, menos de 10% do valor do rombo.

Leia mais...

E as delações, não valem nada? - ISTOÉ

Nos últimos dias, em eventos convertidos em comícios no Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff repetiu o mantra da vitimização ecoado desde a abertura do processo de impeachment. Ao questionar a legitimidade das ações contra ela no Congresso Nacional, a petista voltou a negar que tenha cometido crimes, a despeito dos fortes indícios de que tenha incorrido em pelo menos sete. O pedido de impeachment contemplou um deles: as “pedaladas fiscais”, manobras ilegais empreendidas nas contas do governo passíveis de enquadramento no crime de responsabilidade.

Leia mais...

Um líder que encolheu - ISTOÉ

Com uma média histórica de intenção de voto na faixa dos 30%, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva enfrenta uma perda substancial de popularidade e aumento de rejeição após atrelar seu nome à articulação que tenta manter Dilma Rousseff no poder a qualquer custo. Segundo recente pesquisa Datafolha, Lula é o mais citado entre os eleitores ao lado de Marina Silva (Rede), com 21% e 22% das intenções respectivamente nos cenários com Aécio Neves e Geraldo Alckmin, ambos do PSDB. Ainda que esteja à frente, registra uma queda entre eleitores.

Leia mais...

Atrito histórico - ISTOÉ

Em mais uma demonstração do desgaste irrecuperável de suas relações políticas, a presidente Dilma Rousseff promoveu na terça-feira 12 o mais duro ataque público feito até hoje a seu vice-presidente, Michel Temer. Em discurso no Palácio do Planalto, Dilma chamou Temer de “golpista”, de “chefe conspirador” e de traidor. Foi a resposta dela ao vazamento, no dia anterior, de uma gravação feita pelo vice-presidente falando como se o processo de impeachment já tivesse sido aprovado. Governistas alegam que o áudio foi divulgado intencionalmente.

Leia mais...

Compartilhar Conteúdo