Busque abaixo o que você precisa!

Bolsonaro recebeu ligação de Trump

Rio de Janeiro e Washington - O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) recebeu ligação do presidente dos EUA, Donald Trump, após a vitória.

"Acabou de nos ligar e nos desejou boa sorte e, obviamente, foi um contato bastante amigável", disse Bolsonaro.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, também confirmou a ligação do mandatário americano para parabenizá-lo pela eleição. (Talita Fernandes e Júlia Zaremba) FOLH de sp

Veja os governadores eleitos em 1º turno e as disputas de 2º turno

Marcelo Godoy, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2018 | 20h20 
Atualizado 08 Outubro 2018 | 08h49

 

Doze governadores foram eleitos no primeiro turno neste ano, uma eleição que teve o MDB e o PT como os grandes derrotados nas eleições estaduais. Ao mesmo tempo, partidos como o Novo, o PSC e o PSL conseguiram emplacar no segundo turno seus candidatos em Estados como Minas, Rio e Santa Catarina. 

Os dois partidos que formaram a chapa Dilma Rousseff e Michel Temer para a Presidência haviam eleito 12 governadores em 2014. Desta vez, só podem chegar a nove.

Mapa
Mapas interativos mostram o resultado da eleição presidencial. Clique aqui!Foto: Arte/Estadão

Os petistas sofreram derrotas importantes, a maior delas foi registrada em Minas, onde o governador Fernando Pimentel ficou de fora do segundo turno das eleições, que será disputado pelo senador Antonio Anastasia (PSDB) e pelo candidato do partido Novo, Romeu Zema. Além dela, o partido perdeu o Acre, onde se mantinha no poder havia 20 anos. Ali os eleitores elegeram Gladson Cameli, do PP. A derrota atingiu os candidatos ao Senado, como o ex-governador Jorge Viana e a ex-presidente Dilma Rousseff. 

Leia mais:Veja os governadores eleitos em 1º turno e as disputas de 2º turno

'É hora de pacificar o Brasil', diz Doria no primeiro discurso como governador eleito

Marcelo Osakabe, Pedro Venceslau e Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2018 | 21h34

 

SÃO PAULO - Em seu primeiro discurso após confirmada a vitória nas urnas, o governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), adotou tom conciliatório, ao contrário da postura que marcou a campanha, de ataques ao adversário Marcio França(PSB) e à esquerda.

Em fala iniciada pouco antes das 21 horas deste domingo, 28, o tucano disse que “é hora de pacificar o Brasil” e que será “governador para todos, os que me elegeram e os que não me elegeram”. “É hora de pacificar o Brasil, não podemos de forma alguma iniciar o ano com o Brasil dividido. [...] Temos que somar e agregar todos os brasileiros. Temos que ter desprendimento e grandeza para governar para todos”, declarou.

João Doria vota em São Paulo
Doria chegou ao colégio na zona oeste com camiseta #BolsoDoria Foto: TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Doria afirmou ainda que já telefonou ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para parabenizá-lo pela vitória e que agendou para esta semana um encontro presencial com o capitão reformado. “Falei com o presidente Bolsonaro. Uma conversa lúcida, tranquila e motivadora. Ficamos de ter um encontro no Rio essa semana. Dei votos (a ele) de um bom governo. Tenho convicção de que Bolsonaro será o presidente que vai pacificar o Brasil. E no que depender do Estado de São Paulo, nós vamos ajudar”, afirmou.

Leia mais:'É hora de pacificar o Brasil', diz Doria no primeiro discurso como governador eleito

Veja todos os governadores eleitos no segundo turno

O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2018 | 21h38 
Atualizado 29 Outubro 2018 | 00h37

 

Os brasileiros escolheram neste domingo, 28, governadores de 14 unidades da Federação. As eleições 2018 foram para o segundo turno em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Amapá, Rondônia, Rio Grande do Norte, Amazonas, Pará, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, Roraima, Mato Grosso do Sul e também no Distrito Federal. 

Confira abaixo os governadores eleitos em cada um desses Estados; para ver os governadores eleitos no primeiro turno, clique aqui.

Leia mais:Veja todos os governadores eleitos no segundo turno

Conheça a trajetória da futura primeira-dama do Brasil

Roberta Pennafort, Constança Rezende e Leonencio Nossa, O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2018 | 20h06

 

RIO/ BRASÍLIA -Avessa a entrevistas e aparições públicas, a mulher de Jair Bolsonaro, Michelle de Paula Firmino Reinaldo, mãe de sua filha caçula, Laura, de oito anos, se manteve discreta durante toda a campanha eleitoral. Só apareceu em propaganda de TV na última quinta-feira, suavizando a imagem do marido e o descrevendo como “um cara humano, que se preocupa com as pessoas” e “muito brincalhão”. 

Fluente na Língua Brasileira de Sinais, Michelle tem se apresentado como uma defensora dos direitos das pessoas com necessidades especiais. Fez a ligação de Bolsonaro com essa comunidade, incentivando-o a assinar um termo de compromisso para melhorar a qualidade de vida dos deficientes. 

Leia mais:Conheça a trajetória da futura primeira-dama do Brasil

Compartilhe