Busque abaixo o que você precisa!

No mano a mano, presidente eleito supera Lula

Vera Magalhães, O Estado de S.Paulo

29 Outubro 2018 | 03h00

 

Luiz Inácio Lula da Silva foi suplantado por Jair Bolsonaro neste domingo. Esta é a grande fotografia que fica do resultado do segundo turno. Fernando Haddad sempre foi um dublê de corpo numa eleição que desde cedo se tornou plebiscitária entre o lulismo e o antilulismo.

Condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro, preso desde abril, Lula achou que ditaria, da carceragem da Polícia Federal em Curitiba, o resultado da eleição. Seu peso na política brasileira foi suficiente para levar Haddad ao segundo turno, contra o adversário que ele escolheu lá atrás e que achou que era inelegível, dada a alta rejeição que tinha.

Leia mais:No mano a mano, presidente eleito supera Lula

'No meu PSDB, acabou o muro', diz Doria após ser eleito governador

Por Paula Paiva Paulo , G1 — São Paulo

Governador eleito com 51,75% dos votos, João Doria (PSDB) afirmou, na noite deste domingo (28), no Club Homs, na Avenida Paulista, na Zona Sul de São Paulo, que a legenda, durante seu governo, terá um posicionamento definido.

"A partir de 1° de janeiro, no meu PSDB, acabou o muro. Não tem mais muro. Este será o novo PSDB, um partido que tem lado".

Doria também defendeu a unidade do país, e disse que é hora de "pacificar o Brasil".

Leia mais:'No meu PSDB, acabou o muro', diz Doria após ser eleito governador

TSE sai vencedor do combate às fake news, diz presidente da corte, Rosa Weber

Brasília - A presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministra Rosa Weber, afirmou neste domingo (28), após a divulgação dos resultados do segundo turno, que a Justiça Eleitoral sai vencedora deste pleito no que se refere ao combate às fake news. Rosa foi perguntada sobre o impulsionamento de mensagens pelo WhatsApp, que marcou a disputa.

"Essa pergunta me permite afirmar, com a maior serenidade, que a Justiça Eleitoral está saindo muito maior destas eleições. Em absoluto estamos saindo derrotados, saímos vencedores. Não houve um problema que não mereceu nossa atenção. Não houve uma intercorrência que não fosse encaminhada", disse a ministra, sob fortes aplausos de funcionários do tribunal que assistiam à entrevista coletiva.

Leia mais:TSE sai vencedor do combate às fake news, diz presidente da corte, Rosa Weber

Jair Bolsonaro é eleito presidente e interrompe série de vitórias do PT

Por Guilherme Mazui, G1 — Brasília

 

Jair Messias Bolsonaro, do PSL, foi eleito o 38º presidente da República neste domingo (28) ao derrotar em segundo turno o petista Fernando Haddad, interrompendo um ciclo de vitórias do PT que vinha desde 2002.

A vitória foi confirmada às 19h18, quando, com 94,44% das seções apuradas, Bolsonaro alcançou 55.205.640 votos (55,54% dos válidos) e não podia mais ser ultrapassado por Haddad, que naquele momento somava 44.193.523 (44,46%). Com 100% das seções apuradas, Bolsonaro recebeu 57.797.073 votos (55,13%) e Haddad, 47.039.291 (44,87%).

No discurso da vitória, Bolsonaro afirmou que o novo governo será um "defensor da Constituição, da democracia e da liberdade".

Leia mais:Jair Bolsonaro é eleito presidente e interrompe série de vitórias do PT

Bolsonaro terá ao menos 12 governadores aliados e resistência no Nordeste

João Pedro Pitombo / folhade sp
SALVADOR

Eleito numa onda conservadora que também chegou aos estados, o futuro presidente Jair Bolsonaro (PSL) terá como aliados a maioria dos governadores nos próximos quatro anos.

Dos 27 novos governadores que tomam posse em 2019, 12 apoiaram Bolsonaro no primeiro ou no segundo turno das eleições, sete declararam-se neutros e oito apoiaram Fernando Haddad (PT).

O partido de Bolsonaro, o PSL, terá três governadores a partir do próximo ano: o bombeiro militar Comandante Moisés, em Santa Catarina, o policial reformado Coronel Marcos Rocha, em Rondônia, e o empresário Antonio Denarium, em Roraima.

Leia mais:Bolsonaro terá ao menos 12 governadores aliados e resistência no Nordeste

Compartilhe