Busque abaixo o que você precisa!

Lula compara partido a Tiradentes: ‘PT é imortal’

À espera do julgamento do recurso judicial que pode convertê-lo em ficha-suja, Lula realizou nesta quarta-feira mais um ato de sua campanha fora de época. Postulante ao posto de vítima, discursou à noite para petistas de Franco da Rocha (SP). Disse que os ataques que lhe fazem são endereçados, na verdade, ao PT. E comparou a legenda a ninguém menos que Tiradentes. “O PT é imortal”, declarou a certa altura.

Leia mais: Lula compara partido a Tiradentes: ‘PT é imortal’

Bolsa eleição sem qualificação do gasto é tunga

Em sessão que entrou pela madrugada desta quinta-feira, a comissão que trata da pseudoreforma política aprovou seu texto-base. E já iniciou a análise das emendas. Tudo ainda pode mudar, exceto um ponto: o Bolsa Eleição, fundo criado para financiar campanhas eleitorais com verba pública, é intocável. Para 2018, reservaram-se R$ 3,6 bilhões. A coisa foi batizada de Fundo Especial de Financiamento da Democracia. Jamais foi inventado nome mais bonito para tunga.

Leia mais:Bolsa eleição sem qualificação do gasto é tunga

Comissão da reforma política aprova texto que cria fundo eleitoral de R$ 3,6 bi e 'distritão'

Isadora Peron e Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

10 Agosto 2017 | 00h01

BRASÍLIA - A comissão especial da reforma política aprovou, por 25 votos a 8, o texto apresentado pelo relator, deputado Vicente Cândido (PT-SP), que prevê, entre outras coisas, a criação de um fundo público de R$ 3,6 bilhões para financiamento de campanha.

Leia mais:Comissão da reforma política aprova texto que cria fundo eleitoral de R$ 3,6 bi e 'distritão'

Em entrevista, Ciro Gomes ataca Doria, Bolsonaro, Lula e Dilma

O pré-candidato à presidência Ciro Gomes (PDT-CE) foi entrevistado nesta quarta-feira no programa Pânico, da rádio Jovem Pan, e não poupou críticas a três possíveis concorrentes nas eleições de 2018Luiz Inácio Lula da Silva (PT)Jair Bolsonaro (PSC) e João Doria (PSDB), além da ex-presidente Dilma Rouseff (PT).

No início da entrevista, que teve mais de uma hora de duração, o presidenciável defende o fim da polarização entre os brasileiros para que os problemas possam ser superados. “O Brasil não pode cair na esparrela de aceitar essa falsa divisão entre coxinha e mortadela. Tem que discutir o futuro. Se a gente for transformar o embate que nós temos hoje nesse ódio ou paixão ao redor do Lula, o Brasil não sai de onde está.” 

Leia mais:Em entrevista, Ciro Gomes ataca Doria, Bolsonaro, Lula e Dilma

Com bolsa voto e sem Lava Jato

*José Nêumanne, O Estado de S.Paulo

09 Agosto 2017 | 03h02

Imagine um País com bolsa voto e sem Lava Jato. Ou seja, com financiamentos bilionários de campanha pagos exclusivamente com verbas públicas de até R$ 6 bilhões por ano, o que dará aos políticos mais possibilidades de roubo, e a reeleição assegurada pelas propinas de hábito. Atente para esse paraíso dos mandatários desta porca República, pois quem vai bancá-lo somos nós, cidadãos e contribuintes espoliados pelo Estado estroina e com o patrimônio pessoal arrasado pela crise econômica. De um lado, o éden para delinquentes. Do outro, o inferno para justos.

Leia mais:Com bolsa voto e sem Lava Jato

Compartilhe