Busque abaixo o que você precisa!

ONU pede que Brasil rasgue suas leis por Lula

Colecionadora de derrotas nos tribunais brasileiros, a defesa de Lula obteve uma vitória no Comitê de Direitos Humanos da ONU. Em comunicado divulgado nesta sexta-feira, o órgão anotou que “pediu que o Brasil tome todas as medidas necessárias para garantir que Lula possa usufruir e exercitar seus direitos políticos enquanto está na prisão, como um candidato nas eleições presidenciais de 2018″.

Na prática, o comitê da ONU pediu, com outras palavras, o seguinte: “Brasil, mande às favas as decisões judiciais adotadas contra Lula —da primeira à quarta instância. Em seguida, rasgue a legislação para permitir que um preso inelegível dispute a honorável posição de presidente da República.” Tais providências transformariam o Brasil numa republiqueta. Mas o órgão da ONU está pouco se lixando.

Leia mais:ONU pede que Brasil rasgue suas leis por Lula

Após manter relatoria do registro de Lula, Barroso intima defesa do ex-presidente

PUBLICIDADE

O GLOBO
A ministra Rosa Weber, presidente do TSE, e o Luís Roberto Barroso - Jorge William / Agência O Globo

BRASÍLIA - O ministro Luís Roberto Barroso intimou a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a decisão da presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, proferida na quinta-feira à noite. A magistrada decidiu que Barroso, que integra o tribunal, é o relator do registro da candidatura de Lula, ao contrário do que entendia a defesa do petista.

Barroso pode apresentar uma decisão monocrática a qualquer momento.

LEIA: As entrevistas dos presidenciáveis ao GLOBO

Os advogados de Lula tinham recorrido alegando que o relator deveria ser o ministro Admar Gonzaga, que já estava com processos que pediam a impugnação do registro. Em junho do ano passado, Admar Gonzaga foi um dos ministros do TSE que livraram Temer da cassação. Ele votou pela absolvição da chapa Dilma-Temer no polêmico julgamento que acabou 4 a 3.

 

Rosa Weber decidiu que o caso tem que ficar com Barroso.

Dodge pediu impugnação da candidatura

A Procuradoria Geral já se manifestou recomendando que seja indeferido o registro da candidatura do petista. A procuradora-geral Raquel Dodge destacou que “o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, de segunda instância, condenou Lula a 12 anos e um mês de reclusão pela prática dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá”. E, de acordo com a Lei da Ficha Limpa, “a inelegibilidade projeta-se por oito anos após o cumprimento da pena".

Leia mais:Após manter relatoria do registro de Lula, Barroso intima defesa do ex-presidente  

Campanha de 2018 será das mais restritas em propaganda de rua

Eliana Passareli / folha de sp
SÃO PAULO

campanha eleitoral, cujo período permitido começou nesta quinta (16), será uma das mais restritas dos últimos tempos em termos de propaganda visual de rua. Desde 2006, o legislador tem criado regras que contribuíram para diminuir a poluição visual nas cidades, em busca de redução de custos e um maior equilíbrio na disputa.

A propaganda móvel foi resumida a bandeiras e mesas para distribuição de materiais. Bonecos e cavaletes não são permitidos. O carro de som, de que ninguém sentirá falta, teve seu uso limitado a carreatas, caminhadas e passeatas ou durante reuniões ou comícios.

Na propriedade particular, que a legislação chega ao extremo de regular, só podem ser afixados adesivos ou papel, medindo até meio metro quadrado. Pinturas, placas e faixas em muros particulares não são permitidos, conforme a reforma eleitoral de 2015.

Leia mais:Campanha de 2018 será das mais restritas em propaganda de rua

Crescimento de Haddad em sondagem da XP aumenta nervosismo no mercado

Ana Paula Ragazzi
SÃO PAULO

O mercado já abriu nervoso nesta sexta-feira (17) por conta do cenário externo que novamente traz forte desvalorização da lira turca (-4%), em meio ainda às tensões do país com os Estados Unidos. Mas a divulgação do sondagem eleitoral semanal da XP Investimentos que mostrou crescimento das intenções de voto em Fernando Haddad (PT) e ainda a estagnação da candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) piorou ainda mais o humor dos investidores. Conforme resumiu um operador, o dia já estava ruim e ficou pior. 

Leia mais:Crescimento de Haddad em sondagem da XP aumenta nervosismo no mercado

Tribunal como palanque

O Estado de S.Paulo

17 Agosto 2018 | 03h00

 

A incrível farsa protagonizada na quarta-feira pelo PT em nome de seu chefão Lula da Silva, registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como candidato do partido à Presidência a despeito do fato incontestável de que ele é inelegível, teve um único objetivo: transformar o Judiciário em palanque petista.

Seguindo a estratégia desenhada pelo ex-presidente em sua cela em Curitiba, onde cumpre pena por corrupção e lavagem de dinheiro, os petistas parecem acreditar que qualquer desfecho jurídico a respeito da candidatura de Lula lhes será benéfico. Na remotíssima hipótese de que a Justiça Eleitoral dê sinal verde à candidatura, Lula chegará como favorito à disputa; no entanto, se sua candidatura for impugnada, o que é bem mais provável, Lula e sua claque denunciarão a decisão como prova cabal de que o ex-presidente é um “perseguido político” – e é isso, e apenas isso, o que alimentará a campanha petista.

Leia mais:Tribunal como palanque

Compartilhe