Busque abaixo o que você precisa!

A situação no Município de Canindé é a pior dos últimos 50 anos.

CANINDÉ GADO

A prefeita de Canindé Rozário Ximenes decretou estado de emergência no município, em decorrência da estiagem e ainda dos efeitos da seca dos últimos anos, considerada a mais abrasiva dos últimos 60 anos. O Decreto de Nº 14/2017, foi assinado no dia 23 de março de 2018. No despacho a gestora afirma que a existência de situação anormal, provocada pela seca, desastre crônico, gradual e previsível, caracterizada como ‘’situação de emergência’’, no Município de Canindé, pelo prazo de 90 dias, a contar da publicação do decreto, prorrogável por igual período.

Apesar das chuvas que caíram no município e do tempo frio, a distribuição foi completamente irregular e localidades estão sem água. Os rios Correntes e Barragens estão sendo atingidos pela falta de chuva e alguns pontos dos leitos estão, totalmente, secos.

O decreto, considera o prolongado período de estiagem que vem afetando todo o território do município de Canindé, abrangendo as zonas urbana e rural, o qual vem causando grandes prejuízos tanto na produção pecuária quanto no agrícola, em função de perdas derivadas da escassez de água, além de incidência de escassez de água para consumo em todas as regiões do território municipal.

Ainda segundo o decreto, ocorreram altas perdas na produção agropecuária, drástica redução nos níveis dos mananciais utilizados na atividade rural e extinção quase total dos mananciais utilizados para abastecimento de água para consumo residencial, público e empresarial. O parecer da Secretaria de Agricultura e Recursos Hídricos, órgão municipal de proteção e defesa civil, relatando a ocorrência deste desastre é favorável à declaração de emergência.

 As barragens localizadas na zona rural do município e que eram utilizadas para produção agrícola estão secas. Regiões como Targinos, Ubiraçu, Varzante do Curu, Transval, dentre outras, as pessoas estão ainda vivendo com água de pequenos poços e em algumas comunidades, ainda com abastecimento feito pelo sistema do carro pipa, que também enxerga dificuldade na captação de água e há alguns dias trabalha com a perfuração de poços artesianos visando suprir a necessidade de abastecimento, vez que, o manancial usado para captação de água entrou pela segunda vez no ano em volume morto.

‘’O Programa operação pipa é de extrema necessidade e que sua permanência é de vital importância para as famílias de baixa renda que moram na Zona Rural’’, frisa a prefeita.

Segundo ela, todos os motivos que fundamentam o Decreto Nº 009/2016, do Município de Canindé, em consonância com o Decreto Nº 32.069, de 14 de outubro de 2016 do Governo do Estado do Ceará, ainda são uma realidade presente no Município de Canindé.

‘’Nós tomamos essa medida baseada na Lei Orgânica do Município, pelo artigo 07 do Decreto Federal Nº 7.257, de 04 de agosto de 2010 e pela resolução Nº 03 do Conselho Nacional de Defesa Civil’’, concluiu a chefe do executivo.

Fotos e texto de Antônio Carlos Alves / CANINDÉ NOTICIAS

Compartilhe