Busque abaixo o que você precisa!

O conselho que Alckmin recebeu em 2006 para impulsionar sua candidatura no Nordeste

MURILO RAMOS
25/06/2018 - 15h01 - Atualizado 25/06/2018 15h12

Em 2006, precisando firmar no Nordeste sua candidatura ao Palácio do Planalto, o tucano Geraldo Alckmin embarcou, acompanhado de um parlamentar piauiense, para uma viagem ao estado do colega. Durante o voo, o político disse a Alckmin que ele deveria ser mais caloroso com o eleitorado. Deveria abraçar e até agarrar as pessoas, além de fazer mais promessas. Alckmin, então, disse ao parlamentar que tal comportamento não combinava com seu temperamento - mais sereno e discreto – nem com sua responsabilidade com as contas públicas. O tucano ainda disse que o Alckmin pretendido pelo colega “não era o Alckmin” de verdade. Ato contínuo, o parlamentar retrucou: “então deixe de ser esse Alckmin só por uns dois, três meses. Deixe de ser esse Alckmin enquanto durar a campanha. Depois que a gente ganhar a eleição, você volta a ser esse Alckmin aí”.

Relutante, Alckmin disse que não mudaria seu jeito e lembrou de um antigo candidato a prefeito de Pindamonhangaba, sua terra natal, que jamais mudou de comportamento.

Nesta semana, Alckmin faz uma incursão pelo Nordeste em sua nova pré-campanha ao Planalto e insinuou que o seu candidato a vice deve ser oriundo da região.

>> Mais notas na coluna EXPRESSO

O governador de São Paulo Geraldo Alckmin (Foto:  Marcelo Chello/CJPress/Folhapress)

Compartilhe