Busque abaixo o que você precisa!

Capitão Wagner relata situação de violência e cobra ações na área

Dep. Capitao Wagner ( PR )Dep. Capitao Wagner ( PR )foto: Paulo Rocha

 
O deputado Capitão Wagner (Pros) relatou, no primeiro expediente da sessão plenária da Assembleia Legislativa desta terça-feira (10/04), uma tentativa de assalto da qual foi vítima no último fim de semana, no bairro Luciano Cavalcante. O parlamentar ressaltou o cenário de avanço do crime, que se aproxima da realidade de todas as pessoas.

Segundo o deputado, ao chegar a um bufê onde participaria de um aniversário, ele e dois colegas policiais foram surpreendidos por três homens armados. Capitão Wagner afirmou que foi necessário avaliar a situação, a possibilidade de reação, levando em conta que poderiam ser reconhecidos como policiais, assim como o risco para transeuntes. O deputado indicou que houve troca de tiros e perseguição, mas os assaltantes fugiram.

“Vim aqui alertar que o crime não está mais somente na periferia, na comunidade carente, mas tomou conta do nosso Estado, da nossa cidade”, ressaltou. O parlamentar indicou que é necessário que o Governo do Estado, Ministério Público, a AL e demais instituições tomem providências para lidar com essa situação da violência. “O debate é constante, mas precisamos ir além do discurso, tomar providências, agir”, disse.

Capitão Wagner agradeceu o apoio da Polícia Militar e da AL, por meio do presidente Zezinho Albuquerque (PDT), que, ao saber do caso, colocou os policiais militares da Casa à disposição. Segundo ele, as imagens da área estão disponíveis e servindo para a investigação. Ele indicou que espera que os assaltantes sejam identificados, para que outras pessoas que moram e passam no local não se tornem vítimas.

Ainda falando sobre o caso, o deputado citou as condições de trabalho da Polícia Civil. Segundo ele, ao fazer o registro da ocorrência no 2º Distrito Policial, viu uma escrivã almoçando enquanto atendia à população e soube que o elevador do prédio não funciona há um ano e meio, dificultado, por exemplo, o acesso de pessoas idosas à Delegacia do Turista, que funciona no mesmo edifício. Segundo ele, a Polícia Civil tenta dar uma resposta à população cearense, mesmo com escassas condições de trabalho e baixo efetivo.

Em aparte, o deputado Ely Aguiar (PSDC) lamentou o ocorrido e lembrou caso de violência sofrido pelo também deputado Tomaz Holanda (PPS). Segundo o parlamentar, o Governo Estadual não tem mais como reverter a situação da violência do Estado. O deputado também se solidarizou com o Sistema Verdes Mares, que, indica, foi atacado em manifestação no fim de semana.

Em aparte, o deputado Sérgio Aguiar (PDT) indicou preocupação com a violência e sugeriu que a Procuradoria Parlamentar da AL acompanhasse o caso.

O deputado Fernando Hugo (PP), também em aparte, afirmou que, como procurador parlamentar da AL, solidariza-se e se coloca à disposição. Segundo ele, o que resta para todos é torcer que os fatos violentos não cheguem aos lares de cada um.

SA/PN

Compartilhe