Busque abaixo o que você precisa!

Camilo Santana, candidato ao governo do CE, é entrevistado no CETV 1ª Edição

O candidato ao governo do Ceará Camilo Santana (PT) foi entrevistado ao vivo no CETV 1ª Edição desta segunda-feira (10).

A participação faz parte de uma série de entrevistas que a TV Verdes Mares realiza com os cinco candidatos ao governo do Estado mais bem colocados na pesquisa Ibope divulgada em 16 de agosto último, de acordo com o seguinte cronograma:

 

O candidato Mikaelton Carantino (PCO) vai participar de entrevista gravada que será exibida no sábado (15).

Camilo Santana esteve no estúdio da TV Verdes Mares, em Fortaleza, onde foi entrevistado pelos apresentadores Patrícia Nielsen e Luiz Esteves. O candidato à reeleição tem como vice na chapa Izolda Cela (PROS).

 

CETV 1ª Edição: há quatro anos, em uma entrevista ao CETV, como candidato a governador, o senhor disse: "Eu quero trazer esse problema de segurança pública pra mim como governador, chamando a sociedade para discutir, a academia, a igreja, as instituições, o Tribunal de Justiça, a OAB, o Ministério Público pra traçar atrações pra amenizar o problema da violência". E completou: "nossas famílias estão inseguras hoje no Ceará". Eu pergunto: as famílias estão inseguras hoje aqui no Ceará?

 

Camilo Santana: A primeira coisa que eu fiz como governador, em 2015, e eu assumi um compromisso, foi um pacto, um comitê pra construir uma pactuação com a sociedade. Eu me reuni com presidente do Tribunal de Justiça, com presidente da Assembleia, instituições federais, sociedade civil pra construir um planto. Nós convidamos os melhores especialistas do Brasil, do Fórum Nacional de Segurança Pública, pra construir um planejamento. Eu só acredito que qualquer ação ou qualquer política pública para ser executada precisa ser planejada. E nós demos um grande exemplo do Ceará na área da educação. Se fomos pegar há 12 anos, o Ceará tinha os piores indicadores do país. E com o planejamento, com ações propostas, com meritocracia, com foco, com objetivo, transformamos o Ceará na referência da educação no país. Então, na mesma perspectiva, tratamos a área da segurança. Nesse planejamento, uma das primeiras ações era contratação de efetivo, pois tínhamos os menores efetivos da Polícia Civil do Brasil.

CETV 1ª Edição: vou refazer a pergunta. Nossas famílias estão inseguras?

Camilo: Essa questão da violência é uma questão nacional. Nós sabemos do problema. Eu, como governador, me dediquei nesses três anos e oito meses agarrado com esse problema no sentido de enfrentar a violência. Essa é uma questão hoje nacional. Eu sempre vinha dizendo isso desde o primeiro dia que assumi o governo. O crime ultrapassou as fronteiras dos estados. Qual é o plano, qual foi a política que esse país construiu ao longo dos anos para enfrentar a violência. A violência se instalou hoje no Brasil fruto de facções criminosas que começou lá em São Paulo e no Rio, que é de lá que partem todos os comandos pro Brasil inteiro, devido à falta da proteção das fronteiras. O Brasil não produz drogas. O Brasil não produz armamento pesado. E tá lá na Constituição, a responsabilidade de proteger as fronteiras brasileiras, combater o narcotráfico é do Governo Federal, não é dos estados e dos municípios. E mesmo assim, a gente vem criticando a inoperância de uma política nacional pra isso, que envolva o Judiciário. Nós temos leis frouxas nesse país. A própria imprensa noticiou há pouco tempo que soltaram 14 narcotraficantes presos aqui no Ceará, que receberam habeas corpus. E aqui no Ceará, qual foi a estratégia que nós estamos trabalhando? Primeiro, eu desafio um estado brasileiro que tem investido mais que o Ceará tem investido. Eu contratei mais de nove mil policiais civis e militares, agentes penitenciários em três anos e oito meses. Isso nunca aconteceu na história do Ceará. Pra população ter ideia do que significa, é mais do que todo efetivo do estado do Piauí junto. Porque ninguém vai melhorar a segurança só com discurso fácil ou com oportunismo. É necessário planejamento e ações concretas. Primeiro, policiamento, mais policiais nas ruas, inteligência. Nós 'tamos' hoje com sistema hoje no Ceará...

CETV 1ª Edição: vamos lá, pra gente dar seguimento à nossa entrevista, o senhor declarou nessa mesma entrevista, há quatro anos, que o governo do estado tinha investido, em 2006, em valores corrigidos, R$ 640 milhões. Em 2013, investiu um bilhão, quatrocentos e setenta e três. Por que investir tanto dinheiro não traz mais segurança para o estado do Ceará?

Camilo Santana: combater a violência em duas frentes; primeiro, o fortalecimento policial, que nós estamos fazendo. Repito: aumento do efetivo, tecnologia, equipamento, treinamento, helicóptero e tecnologia. O que foi que eu fiz, ninguém vai resolver esse problema agora, é preciso trabalhar, é preciso se modernizar. O Ceará está se transformando hoje em um dos estados mais bem vigiados, monitorados do país. Eu estou colocando câmeras de monitoramento em todas as cidades com mais de 50 mil habitantes do estado do Ceará. E aqui em Fortaleza estamos chegando a 1,5 mil câmeras conectadas. O que significa isso? Eu chamei a Universidade Federal do Ceará, desde o ano passado, junto com o Governo Federal e nós estamos criando aqui o Laboratório de Segurança Pública, para construir ferramentas tecnológicas para combater a violência. E nós criamos um acompanhamento policial. Porque hoje existe a mobilidade do crime. Todo criminoso usa um veículo para cometer o crime, ou um carro ou uma moto. Se eu consigo monitorar o destino desse veículo, eu consigo dar respostas mais rápidas. Todos os veículos que passam por uma câmera o sistema identifica e aciona a central, e a gente consegue fazer uma ação muito mais rápida. Catorze estados do Brasil têm visitado esse sistema. A Colômbia está usando no enfrentamento da violência e visito esse sistema.

CETV 1ª Ediçãoa gente muitas vezes já noticiou na TV o que está acontecendo nas periferias. Os criminosos estão expulsando famílias, existem casos e mais casos desse crime. Por que isso ainda não foi resolvido?

Camilo Santana: Nós estamos agindo. Quem disser que vai resolver isso a toque de caixa, com mágica, vai estar mentido para população. Toda ação de facção que expulsa família nós estamos agindo, estamos prendendo. Se tem uma polícia que está dando respostas, é em menos de 24 horas. Essa problemática precisa de um apoio federal.

CETV 1ª Edição: o que o senhor tem a dizer para essas famílias que estão sendo expulsas?

Camilo Santana: Vamos ser rigorosos no combate ao crime. Essa tem sido a nossa determinação. Nós aumentamos em 43% o efetivo da Polícia Civil. Fiz o maior concurso da Polícia Militar em uma crise. É importante que a população saiba disso. Tem estado que está parcelando o pagamento do servidor, no Ceará é o contrário, está contratando.

CETV 1ª Ediçãosão 9 mil novos policiais e três mil policiais civis. Por que tem menos civis, que é a polícia que cuida da investigação dos crimes? Por que não recebeu uma atenção maior do senhor?

Camilo Santana: Recebeu. Eu fui o governador que mais contratou policial civil. Contratei 1.040 policiais civis e já anunciei um concurso agora, não dá pra fazer tudo de uma vez. O Ceará, num momento de encolhimento do país, seis anos de seca, crise política e mesmo assim tem dado exemplo pro país inteiro. É o estado mais bem equilibrado fiscalmente e o que mais fez investimento público, inaugurar novas estradas, novas upas, hospitais, viatura, helicópteros. É isso que a população nos cobra. O Ceará hoje é exemplo pro Brasil. Esse tema da segurança, que precisa ser tratado com muita seriedade, mas é preciso ser tratado em nível nacional. Por que o Congresso Nacional não votou ainda os bloqueios nos presídios? Por quê? Por que não votam? A sociedade brasileira precisa cobrar.

CETV 1ª Ediçãopor que o Ceará não consegue evitar a entrada de celulares nos presídios?

Camilo Santana: eu criei uma lei, Luís. Eu fui o primeiro governador a fazer isso e eu fui cobrar isso. A sociedade precisa cobrar do seu deputado, do seu senador. O crime organizado do Brasil parte de São Paulo e Rio de Janeiro, que não combate. São Paulo é o maior exportador do crime organizado do país, e o Governo Federal não fez nada. É bom que o povo precisa saber: eu tenho investido muito na segurança pública no Ceará. Agora, não recebi um centavo sequer do Governo Federal para combater a violência, foi todo investimento do estado.

CETV 1ª Ediçãonos últimos anos o Hospital Geral de Fortaleza recebeu pacientes em macas em corredores. A gente sempre mostra isso. Quando é que isso vai acabar de uma vez?

Camilo Santana: todos os hospitais públicos do estado eram em Fortaleza e aí sobrecarregava a demanda aqui em Fortaleza. O Ceará concluiu uma rede de interiorização do hospital. Fez o Hospital da Região Norte, o Hospital de Sobral, eu concluí o Hospital de Quixeramobim e estamos já construindo um outro hospital, em Jaguaribe, está em 30%. Nós construímos toda uma rede de policlínicas. A porta de entrada do paciente é o SUS. A policlínica serve exatamente para receber a população.

CETV 1ª Ediçãoque nota o senhor dá ao atendimento na saúde?

Camilo Santana: nós temos uma avaliação. Quem tem que avaliar não sou eu, é a população. Quem utiliza por exemplo o HGF, 70% aprova, a imprensa só mostra os corredores ali. Eu estive visitando uma vez e perguntei a um paciente: "Você quer ser transferido hoje para um outro hospital?" Ele disse: "Não, eu quero ficar nesse aqui porque esse hospital aqui é bom". Poucos hospitais nesse país são bons como o HGF. Agora qual é o problema? Mais de 80% da população utiliza o SUS. As pessoas saíram do plano privado para o público aí aumenta a demanda. Nós aumentamos por mês 1,8 milhão de pessoas. Precisa fazer mais? Precisa, mas nós já fizemos muito e vamos fazer mais. Vou inaugurar agora com a prefeitura a ampliação do IJF.

CETV 1ª Ediçãoo senhor disse que em quatro anos iria concluir a linha leste do metrô, classificada como o maior investimento em obra do Ceará. Por que, candidato, não deu certo.

Camilo Santana: primeiro o Governo Federal, que cortou recursos, enfrentamos uma crise e o Governo Federal cortando recursos dos estados. Essa obra era parte de financiamento do estado e parte da União. Eu briguei muito para que o Governo arque com seu compromisso. É preciso honrar. Eu procurei políticos em Brasília pra gente fazer isso. Qual foi a minha proposta? Já que não era possível fazer todo o trecho, que a gente fizesse um trecho. Foi aprovado no BNDES, garantimos recursos, foi assinado, a obra já foi relicitada, já vamos fazer um trecho e já vamos aproximar do VLT, que a ideia é integrar o que já está funcionando. Eu priorizei o VLT até o Papicu. A partir de hoje está funcionando em dois horários na operação assistida. E vamos começar agora a linha leste do sistema metroviário.

CETV 1ª Ediçãoo Ceará tem hoje cerca de 64 órgãos públicos e o Ceará paga 56 tipos de gratificações. Como fazer para enxugar a máquina pública? É muita ou pouca gente no estado?

Camilo Santana: Se você pegar, os outros estados têm atualmente, o Ceará é o estado que tem o menor percentual de cargos comissionados do país, 1%. Precisamos melhorar? Precisamos. Nós somos o estado mais bem equilibrado do país. Somos o estado com maior investimento do país. Nós investimentos no ano passado 13,9% da receita líquida do estado. O Brasil não investe nem um terço disso. Isso me permitiu duplicar estradas, me permitiu abrir mais uma UPA em Fortaleza, me permitiu construir cada quinta-feira uma escola nova no Ceará. Eu tenho ouvido essa crítica por causa da oposição e reconheço, nós temos que fazer cada vez mais a gestão pública mais eficiente. Esse é o novo objetivo.

CETV 1ª Ediçãoo Ceará tem 184 cidades e 14 delas concentram 70% da riqueza. Como levar riqueza para o interior do Estado?

Camilo Santana: Nós temos um investimento hoje de incentivos fiscais. Quanto mais distante da capital, mais incentivo, para que o empresário possa levar seu investimento para mais próximo da população do interior. A conquista da siderúrgica que era um sonho do Ceará hoje gera 18 mil empregos. Nós tivemos agora uma grande conquista que foi o HUB aéreo. Estamos saindo de oito voos internacionais por semana para 48. Vamos chegar a 60 no próximo ano. Significa que vai ter mais turista no Ceará, vamos conectar o Ceará com o mundo. Significa que o táxi vai ter mais corrida. Está indo receber mais gente. E é capacitar a mão de obra.

CETV 1ª Ediçãopor favor as suas considerações.

Camilo Santana: Queria agradecer e dizer que eu assumi o governo em 2015, enfrentei um momento difícil no Brasil. Crise econômica, crise política, ainda veio a seca no Ceará. Eu garanti que não ia fazer racionamento, sabia que ia prejudicar a população. Arregacei as mangas. E você meu irmão, minha irmã cearense, avançamos na educação, o Ceará é hoje uma referência na educação. Das 100 melhores escolas públicas do país do ensino fundamental, 82 são do estado do Ceará, isso nos orgulha. É a educação que constrói um estado melhor, mais justo. Investimos fortemente na segurança, mas sei que estamos pavimentando para construir, da mesma forma que nós fizemos na educação, eu quero ter uma oportunidade de mostrar que o Ceará será também um exemplo na segurança pública. Foi o estado que mais gerou empregos e por isso eu quero pedir o seu voto para continuar no Governo do Ceará.

Compartilhe