Busque abaixo o que você precisa!

PT de Pernambuco contraria Executiva Nacional e define Marília como pré-candidata ao gover

Kleber Nunes, O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2018 | 22h44

RECIFE - O diretório estadual do PT contrariou a Executiva Nacional do partido e aprovou, na noite desta quinta-feira, 2, a opção pela candidatura própria ao governo do Estado nas eleições 2018. Dos 251 delegados presentes no encontro, no Recife, 230 indicaram a vereadora Marília Arraes para concorrer ao palácio Campo das Princesas pela sigla – 20 votaram contra e um se absteve. Marília havia sido rifada pela cúpula petista, na véspera, num acordo entre as Executivas nacionais do PT e PSB

Vereadora do Recife pelo PT, Marília Arraes é pré-candidata ao governo
Vereadora do Recife pelo PT, Marília Arraes foi excluída da disputa pelo governo Foto: CARLOS EZEQUIEL VANNONI / ELEVEN

Os dois partidos fecharam um acordo na quarta-feira, 1º, que estabeleceu a neutralidade do PSB nas eleições 2018 – o que na prática isolou o candidato do PDTCiro Gomes – e apoio “cruzado” em Pernambuco e Minas Gerais. Pelo trato, o PT de Pernambuco retiraria a candidatura de Marília e apoiaria a reeleição do governador Paulo Câmara(PSB). Em troca, o ex-prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda desistiria de tentar o governo de Minas e o PSB declararia apoio à reeleição do governador Fernando Pimentel(PT).

Tanto Marília quanto Lacerda reagiram com indignação ao acordo e afirmaram que manteriam as respectivas pré-candidaturas. À tarde, a neta do ex-governador Miguel Arraes  disse que “será candidata ao governo de Pernambuco” e que isso não configura um posicionamento “subversivo” nem afronta as hierarquias do partido. A declaração foi dada momentos antes do encontro estadual do PT em um hotel da zona sul do Recife para definição da tática-eleitoral da sigla no Estado.

O encontro durou cerca de 4 horas e aconteceu sob clima de tensão e bate-boca. O senador Humberto Costa, um dos principais articuladores da aliança com o PSB, foi chamado de "golpista" por apoiadores de Marília. "Você acha que tem alguma decisão que seja tomada no PT sem a autorização de Lula?", rebateu o senador. 

A ata do encontro será enviada para o Diretório Nacional, que se reúne nesta sexta-feira, 3, em São Paulo.

Após o resultado, Marília disse que era uma resposta para o Brasil. "É uma grande vitória não só para militância do PT, mas para o povo de Pernambuco que se sentiu representado. Agora vamos acompanhar o Diretório Nacional, estou confiante", afirmou. 

Compartilhe