Busque abaixo o que você precisa!

Deputados aprovam moção de apoio a Camilo e cobram investigação de ameaças

Deputados, durante sessão plenária, realizada via Sistema de Deliberação Remota Deputados, durante sessão plenária, realizada via Sistema de Deliberação RemotaFoto: Paulo Rocha

 
Parlamentares manifestaram apoio ao governador Camilo Santana na sessão plenária realizada via Sistema de Deliberação Remota, na manhã desta terça-feira (30/03), e  aprovaram moção de  apoio, de autoria do deputado Júlio César Filho (Cidadania), ao chefe do Executivo Estadual. Por meio do documento, o parlamentar condenou as ameaças que o Governo tem recebido, nas redes sociais, pela condução do Estado durante a pandemia da Covid-19.

"Apresento esta moção para repudiar qualquer ameaça ou ato de violência e manifestar minha total solidariedade ao governador Camilo Santana. Esses atos de intimidação são prejudiciais ao processo democrático, sobretudo, neste momento no qual vivenciamos uma grave pandemia que, lamentavelmente, já ultrapassou os 300 mil mortos no Brasil", justificou Júlio César Filho. A moção foi subscrita por 25 deputados.

O deputado explicou que a Polícia Civil do Ceará abriu inquérito para investigar as denúncias e adotar as medidas cabíveis para conter atentados contra o chefe do Executivo estadual. “Essas atitudes são inadmissíveis em uma democracia e se tornam ainda mais absurdas diante da postura séria que tem sido adotada pelo governador no combate à pandemia no Estado.''

Júlio César Filho avaliou que Camilo Santana tem tomado todas as decisões de forma transparente, em conjunto com o Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia do Coronavírus, formado por representantes de 25 entidades e órgãos, além de profissionais técnicos especializados.

Parlamentares solidários ao governador Camilo Santana, cobraram investigação e a responsabilização dos envolvidos com as ameaças.

O deputado Acrísio Sena (PT) lembrou que é testemunha, assim como todos, dos esforços que o Governo do Estado tem feito no sentido de ampliar a capacidade de atendimento da rede pública de saúde às vítimas de Covid-19, pela criação de leitos, aquisição de equipamentos, auxílios e benefícios para a população. “É um trabalho gigantesco e não podemos nos quedar diante de uma minoria negacionista que não respeita o estado democrático de direito e acha que pode fazer justiça com as próprias mãos”, afirmou.

Osmar Baquit (PDT) ressaltou as medidas que o governador tem tomado em auxílio à população durante a pandemia. Ele lembrou que várias matérias nesse sentido foram aprovadas na AL nas últimas semanas e enalteceu o esforço de Camilo Santana. Quanto à ameaça, ele atribuiu à influência dos líderes nacionais, "que não têm apego à vida”. “É preciso ter respeito às instituições, sobretudo àqueles que nos governam bem e que têm reconhecimento pela grande maioria da população”, disse.

Também se solidarizou com o governador o deputado Sérgio Aguiar (PDT), acrescentando que Camilo Santana, como homem público, não assumiu esse cargo para agradar a todos e sim, para tomar decisões baseadas no bem de todos. Já o deputado Salmito (PDT) ponderou que as redes sociais trazem impactos negativos na democracia. “As redes sociais estimulam o ódio. Estamos passando por um momento difícil e sabemos que o governador está fazendo tudo baseado na ciência”, pontuou.

Romeu Aldigueri (PDT) parabenizou a condução de Camilo Santana na pandemia. “O Ceará é exemplo na transparência, presta contas semanalmente de maneira exemplar e se dedica diuturnamente para combater a pandemia e vacinar o seu povo, além de pensar ações em conjunto e sempre toma decisões baseadas no bem maior. Parabéns a essa moção do deputado Júlio César Filho”, comemorou.

Para o deputado Carlos Felipe (PCdoB), diante de todo o esforço realizado pelo Governo do Ceará, secretários, e profissionais de saúde no combate à pandemia, “questionar a gestão de saúde do Estado na pandemia e ainda ameaçar o governador é um ato de insanidade, uma desumanidade”. Segundo ele, erros e omissões em nível nacional prejudicam o combate à crise de saúde nos estados.

Deputados de oposição também manifestaram apoio ao governador. O deputado Renato Roseno (Psol) observou que diverge do governador Camilo Santana em muitos pontos, mas que “divergência não autoriza ameaça”. Ele salientou que essa situação é consequência da “escalada do autoritarismo que é fomentada em Brasília”. “Camilo tem lutado contra o negacionismo e não iremos tolerar esse tipo de ameaça. Além de requerimento de solidariedade, devemos investigar e responsabilizar os envolvidos direta ou indiretamente nessas ameaças, pois é dessa forma que se impede o alastramento do autoritarismo”.

A deputada Dra. Silvana (PL) salientou que não concorda com o pensamento de Camilo Santana sobre muitos assuntos, principalmente no que diz respeito à adoção do lockdown. “Mas isso não é motivo para que eu compactue com ameaças desse gênero, e falo isso porque sofro muitas ofensas pelas redes sociais”, defendeu.

Delegado Cavalcante (PSL) e Fernanda Pessoa (PSDB) também ressaltam ter divergências com o pensamento do Governo do Estado, mas repudiam qualquer tipo de conduta que ameace à vida das pessoas.

Parlamentares que participaram da sessão de hoje manifestaram apoio ao governador e subscreveram a moção de apoio. Além dos citados, se manifestaram, ainda, os deputados Lucílvio Girão (Progressistas), Fernando Hugo (Progressistas), Leonardo Pinheiro (Progressistas), Tony Brito (Pros), Heitor Férrer (SD), Aderlânia Noronha (SD), Apóstolo Luiz Henrique (PP), Fernando Santana (PP), Walter Cavalcante (MDB), Erika Amorim (PSD), Soldado Noelio (Pros), Nizo Costa (PSB), Jeová Mota (PDT), Leonardo Araújo (MDB), João Jaime (DEM), Moisés Braz (PT), Manoel Duca (PDT), Antonio Granja (PDT), Danniel Oliveira (MDB) e Bruno Pedrosa (Progressistas).

AGÊNCIA DE NOTICIAS DA AL/CE - DANIEL SAMPAIO

Compartilhar Conteúdo