Busque abaixo o que você precisa!

Bolsonaro afirma que Maia e PT ‘são coisas muito parecidas’

Emilly Behnke e Matheus de Souza, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2021 | 17h49
Atualizado 08 de janeiro de 2021 | 20h47

BRASÍLIA – Em novo embate com o presidente da Câmara,  Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente Jair Bolsonaro atacou a aliança formada de 11 partidos pelo deputado para eleger Baleia Rossi (MDB-SP) como seu sucessor. Apesar de já ter dito que não se envolveria na eleição no Legislativo, Bolsonaro criticou o fato de Maia ter se aliado ao PT para derrotar Arthur Lira (Progressistas-AL), candidato do Palácio do Planalto na disputa.

Em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada na manhã desta sexta-feira, 8, Bolsonaro lembrou que Maia foi favorável ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e que no passado condenou a atuação do partido.  

LEIA TAMBÉM

Baleia lança candidatura à presidência da Câmara e prega independência em relação ao Planalto

Baleia lança candidatura à presidência da Câmara e prega independência em relação ao Planalto

Jair Bolsonaro
O presidente da República, Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, em Brasília Foto: Dida Sampaio / Estadão

“Quando o Rodrigo Maia votou pela cassação da Dilma, deu um voto criticando o PT, que perseguiu o pai dele (César Maia) que era prefeito no Rio. E deu um voto firme, objetivo, e apontando que o PT era a maior desgraça do mundo. Hoje, está junto com o PT nas eleições da presidência da Câmara”, afirmou.

Em seguida, o chefe do Executivo sugeriu, com ironia, que Maia e o PT se assemelham. “Pelo poder, água e óleo não se misturam. Se bem que aí eu acho que não é água e óleo, não, são duas coisas muito parecidas”, completou.

No Twitter, Maia afirmou o bloco de partidos apoia a candidatura de Baleia a presidente da Casa se une para condenar o autoritarismo, o fascismo e a incompetência. Maia disse que só compreendem o gesto do bloco os que defendem a democracia “antes de tudo”.  O presidente da Casa disse que não o surpreende que o chefe do Executivo critique a união de partidos. “Só compreendem o nosso gesto aqueles que defendem a democracia antes de tudo. Aqueles que respeitam diferenças e valorizam o diálogo”, disse.

Além de DEM e PT, o bloco de apoio a Baleia conta ainda com MDB, PSB, PSDB, PSL, PDT, Cidadania, PV, PT, PCdoB e Rede, com 281 deputados. Parte dos membros do PSL, contudo, declarou apoio a Lira. O líder do Centrão afirma ter o apoio de dez siglas: PP, PL, PSD, Republicanos, Solidariedade, Patriota, Avante, Pros, PTB e PSC, no total 193 parlamentares.

Compartilhar Conteúdo