Busque abaixo o que você precisa!

Lewandowski determinou ainda, caso os materiais adquiridos pelo governo paulista já tenham sido entregues, que a União devolva os insumos, no prazo máximo de 48 horas, sob pena de multa diária de R$ 100 mil. A decisão acolhe um pedido da Procuradoria-Ger

Pacientes se aglomeraram no pátio do Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), em Fortaleza, na manhã desta sexta-feira (8), em busca de conseguir uma senha para a marcação de consultas e exames de coração. As pessoas, na maioria idosos, não respeitavam o distanciamento social. A Polícia Militar foi acionada após um princípio de tumulto se formar no local. Os agentes dispersaram a aglomeração. 

Conforme os pacientes, alguns chegaram ao hospital ainda madrugada e, mesmo assim, não conseguiram uma senha. Outras foram à unidade mais de uma vez na busca de ser atendidas.  É o caso do advogado Giovannio de Carvalho Ferreira, que somente na segunda tentativa conseguiu uma senha para marcar a consulta da esposa. 

“Desde o ano passado que eu tento marcar uma consulta de retorno para a minha esposa. Ontem eu vim e não obtive êxito. Hoje cheguei às 3h30 e mesmo com todo tumulto consegui pegar uma senha, ainda assim, não é garantido ter vaga para o médico almejado”, disse o advogado. 

Já o neto de uma idosa de 87 anos que usa marcapasso veio de um município do interior do Estado e não conseguiu atendimento para a avó. “A minha avó tem que fazer uma consulta porque ela não está se sentindo bem. A gente chega aqui e é esse absurdo, isso não pode acontecer”, reclama. 

Segundo as pessoas que estavam na unidade, funcionários do Hospital de Messejana repassaram números de telefones para os pacientes marcarem as consultas, porém os números não funcionam. 

“Ontem passei o dia todo ligando, hoje tem vários registros das vezes que tentei falar com alguém do hospital pelo telefone e não consegui. Vou voltar para casa sem marcar a consulta da minha mãe”, lamenta Francisca, que viajou da cidade de Cascavel, na Grande Fortaleza, até a capital. 

De acordo com o Hospital de Messejana, diariamente, são distribuídas 300 senhas para marcação de consultas e exames eletivos, distribuídas com o intuito de evitar filas e aglomeração. "Seguranças orientam os pacientes e acompanhantes a manterem o distanciamento e respeitar a chama das fichas no Bosque dos Eucaliptos, local aberto e amplo", afirma.  As marcações também podem ser feitas por telefone, nos números (85) 3101-4112(85) 3104-7813 e (85) 3101-7832, de segunda a sexta, de 8h às 16h. 

O hospital afirma que só nesta quinta-feira (7), foram marcadas mais de mil consultas eletivas. Já no período de 4 a 7 de janeiro, o hospital marcou 1.940 consultas.  

Ainda conforme o hospital, para o retorno das marcações o Hospital de Messejana providenciou a sinalização do local e aumentou o número de atendentes. O serviço de Pacientes Externos funciona de segunda a sexta, das 8h às 16h. "O Hospital de Messejana é o único hospital de referência no tratamento de doenças cardíacas e pulmonares de alta complexidade e atende pacientes de todo o Ceará, inclusive de outros estados do nordeste. Anualmente, são realizadas cerca de 75 mil consultas nos 25 ambulatórios especializados do Serviço de Pacientes Externos", diz um trecho da nota. 

Reclamações 

Em 16 de dezembro de 2020, houve reclamações sobre o atendimento da Farmácia do Serviço de Pacientes Externos do mesmo hospital. O atendimento foi interrompido no período da manhã e várias pessoas que estavam no local ficaram sem receber medicamentos.  

Na ocasião, o hospital informou que a suspensão ocorreu devido a uma reunião de alinhamento interno e ressaltou que o serviço não foi prejudicado. "Até as 16h desta quarta-feira, todos os 220 pacientes e acompanhantes que procuraram o serviço, foram atendidos e receberam normalmente as medicações", disse o hospital. DIARIONORDESTE

Compartilhar Conteúdo