Busque abaixo o que você precisa!

De direita, não: contra Lula

José Nêumanne / o estadão

09 Outubro 2018 | 11h27

 

Brasileiro esperou para decidir no voto se quer ver Lula solto ou preso e se no governo ou na oposição. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Coleguinhas apressados no Brasil e no exterior, acadêmicos militantes e esquerda em geral tentam desqualificar os quase 50 milhões de votos de Jair Bolsonaro, do PSL, no primeiro turno da eleição presidencial como sendo onda conservadora, de direita. Certo está o colega José Roberto Guzzo, da Veja, que escreveu um post no Twitter ensinando a esses “inocentes” que, na verdade, o voto avassalador de domingo 7 não foi ideológico, mas contra Lula e tudo o que cheire a Lula. Líquido e certo: na votação final de 28 de outubro a maioria dos eleitores brasileiros vai decidir se quer Lula solto com o PT no poder ou, ao contrário, prefere petista preso e na oposição.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na terça-feira 9 de outubro de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos do comentário da terça-feira 9 de outubro de 2018-10-09

1 – Haisem – Manchete do Estadão de hoje relata que “Bolsa dispara com nova onda conservadora na Câmara”. Além disso, o movimento do mercado parece também refletir os 18 milhões de votos de vantagem que o candidato Jair Bolsonaro, do PSL, obteve no primeiro turno da eleição sobre o do PT, Fernando Haddad. O que você acha disso?

2 – Carolina – Eu me lembro que você disse algumas vezes aqui a nossos ouvintes que havia uma tendência forte de uma pequena renovação no Congresso, especialmente na Câmara. Contados os votos, sua expectativa mudou a respeito disso?

3 – Haisem – Qual é o motivo que você calcula que pode ter levado ministros do STF, entre os quais o presidente, Dias Toffoli, e vários intelectuais e acadêmicos, ouvidos por nós no dia seguinte ao da realização da eleição em primeiro turno, a se manifestarem a favor de um pacto de governabilidade para evitar que o Brasil afunde na crise?

4 – Carolina – O que levou os candidatos Jair Bolsonaro, do PSL, e Fernando Haddad, do PT, que chegaram ao segundo turno, mudarem seus pontos de vista a respeito da necessidade de convocação de uma nova Constituinte, conforme revelaram em entrevistas ontem ao Jornal Nacional?

SONORA JN 0910 C BOLSONARO

SONORA JN 0910 A HADDAD CONSTITUINTE

5 – Haisem – O Estadão está noticiando hoje que, depois da derrota de Alckmin, o Centrão, que o apoiou, está rachado em relação ao eventual apoio ao candidato do PSL e ao do PT, que foram ao segundo turno. Qual é, na sua opinião, a importância dessa decisão para um ou para outro?

6 – Carolina – Por que o ex-governador Alberto Goldman foi expulso do PSDB pelo diretório municipal de São Paulo?

7 – Haisem – Que influência, a seu ver, que pode ter na decisão definitiva do eleitorado no segundo turno daqui a 19 dias da posição de neutralidade adotada ontem em suas contas na rede social pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso?

8 – Carolina – Entre os primeiros colocados no primeiro turno para o governo do Estado quais os que mais chamam sua atenção e por quê?

Compartilhe