Busque abaixo o que você precisa!

Novos vídeos mostram propina em obras contra a seca na PB; esquema envolve deputado e prefeito, diz PF

Novos vídeos, divulgados neste domingo (12) em uma reportagem do Fantástico da TV Globo, mostram flagrantes de pagamento de propina em um esquema de corrupção que desviou verba pública, teve pagamento de propinas e contou com licitações fraudulentas num município pobre e que sofre com um problema crônico de falta de água. Justamente em obras que poderiam solucionar a alta de água da região, onde os açudes estão praticamente secos. A história está sendo investigada pela Polícia Federal e tem na mira o deputado federal Wilson Santiago (PTB) e o prefeito João Bosco Fernandes (PSDB), de Uiraúna, que são aliados políticos.

Em outra reportagem, exibida em dezembro, o Fantástico mostrou vídeos de propinas sendo entregues em Brasília. Dessa vez, os flagrantes foram feitos em João Pessoa, capital da Paraíba.

Wilson Santiago — Foto: Divulgação

Wilson Santiago — Foto: Divulgação

A reportagem do Fantástico visitou a região, conversou com moradores pobres que sofrem com a falta de água, e apresentou detalhes do esquema. Enquanto a dona de casa Libéria de Santana, por exemplo, consome água de má qualidade, suja, porque nem chega água potável em sua casa nem ela tem dinheiro para comprar água limpa proveniente de poço, os políticos desviam recursos públicos destinados justamente à solução do problema da escassez de água.

Segundo a Polícia Federal, parte da verba reservada para obras de combate a seca no município de Uiraúna foi parar nas mãos do deputado federal Wilson Santiago e do prefeito João Bosco Fernandes (PSDB).

 

“Aproximadamente R$ 1 milhão foi pago a título de propina para o deputado e R$ 600 mil ao prefeito”, explica Vítor Morais, delegado da Polícia Federal.

Fantástico mostra ainda como ambos são políticos acostumados em exercer o poder local. Doutor Bosco, como é mais conhecido o prefeito, está em seu quinto mandato não consecutivos como prefeito do município de cerca de 15 mil habitantes. Já Wilson Santiago está no seu terceiro mandato na Câmara dos Deputados.

A obra que o povo tanto espera, e que poderia resolver uma série de problemas com relação à seca, é uma adutora. Ela teve a construção aprovada em 2017 pelo Ministério do Desenvolvimento Regional. Trata-se de um sistema de tubulações que levaria água da Lagoa do Arroz, em São José do Rio do Peixe, até o Açude Capivara, em Uiraúna, que abastece 11 cidades da região.

Ao preço de R$ 24,8 milhões, a obra deveria ter sido concluída em junho do ano passado. Mas, até agora, com R$ 17 milhões já liberados, pouco foi feito. Muito por causa disso, o açude, tecnicamente, entrou em risco de colapso, de tão seco que ele está.

Delator e prefeito de Uiraúna em recebimento de propina, dentro de quarto de hotel, em Sousa — Foto: Reprodução/TV Globo

Delator e prefeito de Uiraúna em recebimento de propina, dentro de quarto de hotel, em Sousa — Foto: Reprodução/TV Globo

O esquema

Segundo a Polícia Federal, o esquema era comandado pelo empresário George Barbosa, dono de uma construtora que já realizou duzentas obras públicas. Em troca de propina, ele teria sido beneficiado pela Prefeitura de Uiraúna e vencido uma licitação fraudulenta.

Ainda de acordo com a PF, o rateiro era simples: 10% do valor total foi parar com o deputado federal e 5% do valor foi parar com o prefeito.

O esquema funcionou até setembro do ano passado, quando George procurou a Polícia Federal. Ele fez um acordo de delação premiada e depois disso passou a gravar as entregas de propina.

O Fantástico, inclusive, teve acesso a uma dessas entregas. Certa vez, em frente a um supermercado de João Pessoa, George separou R$ 50 mil para entregar a Evani Ramalho, secretária parlamentar de Wilson Santiago.

Os policiais federais estavam escondidos no local. O carro da assessora chegou e George entrou no carro com um gravador de áudio ligado. Ela ainda reclamou que o dinheiro estava numa sacola, fácil de ser visto, e que faltava dinheiro. Depois, foi embora. Os policiais a seguiram até ela entrar na sede estadual do PTB, em João Pessoa, o partido presidido por Santiago na Paraíba.

Dois dias depois, ela repassou mais R$ 50 mil ao empresário. E acabaria presa acusada de corrupção. De acordo com a sua defesa, contudo, ela está a disposição da polícia e do Poder Judiciário para contribuir com o que for necessário para provar sua inocência.

Com relação ao deputado federal Wilson Santiago, o Supremo Tribunal Federal o afastou do cargo de parlamentar. Mas, ao menos por ora, ele responde às acusações em liberdade.

Sua defesa diz que ele nunca recebeu propina e que ele não tem conhecimento de que seus assessores tenham recebido. “O deputado tem total interesse no esclarecimento desses fatos até para que ele possa comprovar a sua inocência. E demonstrar que o delator tão somente está fazendo essas acusações para auferir os benefícios da delação premiada”, declarou Luís Henrique Machado, advogado do parlamentar.

Compartilhar Conteúdo